Defesa entra no STF com pedido de habeas corpus para Pezão

Pedido de liberdade foi encaminhado ao ministro Alexandre de Moraes, que é o relator do caso

Por Agência Brasil

Governador Luiz Fernando Pezão (MDB) na PF após ser preso pela Polícia Federal na operação Boca de Lobo
Governador Luiz Fernando Pezão (MDB) na PF após ser preso pela Polícia Federal na operação Boca de Lobo -

Rio - A defesa do governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, entrou com pedido de habeas corpus, nesta segunda-feira, no Supremo Tribunal Federal (STF). O pedido de liberdade foi encaminhado ao ministro Alexandre de Moraes, que é o relator do caso. A petição está em segredo de Justiça. e os detalhes não foram divulgados.

Pezão foi preso na semana passada pela Polícia Federal (PF), a pedido de Ministério Público Federal (MPF), em uma nova fase da Operação Lava Jato, no Rio de Janeiro. Segundo a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, o pedido de prisão foi necessário para “garantir a ordem pública, paralisando a prática de organizações criminosas em curso”.

A operação tem como base depoimentos do economista Carlos Emanuel Carvalho Miranda, ex-operador do ex-governador Sérgio Cabral e delator premiado que detalhou o suposto esquema que teria garantido uma mesada de R$ 150 mil a Pezão, entre 2007 a 2014, período que este era vice-governador.

Os advogados do governador sustentam que a prisão preventiva é ilegal e que Pezão sempre esteve à disposição das autoridades para prestar esclarecimentos. Para os defensores de Pezão, a prisão para evitar eventual risco de reiteração dos supostos crimes não se sustenta porque todos os demais acusados de integrar a "organização criminosa" já estavam presos.

Últimas de Rio de Janeiro