PF recupera na Paraíba dois volumes de livro raro furtado da UFRJ

Obra estava sendo vendida por meio de um leilão virtual, com lance inicial de R$ 3,5 mil. Documento é da época do Brasil Colônia e reúne correspondências divididas em dois volumes e é a primeira edição da correspondência de Padre Antônio Vieira

Por Agência Brasil

Rio - A Polícia Federal na Paraíba recuperou, nesta terça-feira, dois volumes de um livro raro que havia sido furtado da Biblioteca Pedro Calmon da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em 2016. O exemplar do livro Cartas do P. Antonio Vieyra, de 1735, foi localizado no bairro do Itararé, em Campina Grande, depois que agentes da PF cumpriram dois mandados de busca e apreensão numa casa. Ninguém foi preso durante a ação.

De acordo com as investigações, a obra estava sendo vendida por meio de um leilão virtual, com lance inicial de R$ 3,5 mil. A operação, denominada Cartas, é uma referência ao título do livro furtado, que reúne correspondências do escritor e orador português Padre Antônio Vieira (1608-1697). O documento é da época do Brasil Colônia e reúne correspondências divididas em dois volumes e é a primeira edição da correspondência de Padre Antônio Vieira.

Em maio do ano passado, a Polícia Federal abriu um inquérito para investigar o furto de mais de 420 obras do acervo dessa biblioteca da UFRJ, localizada na Praia Vermelha, zona sul do Rio. Desse total, 303 livros são considerados raros. Ainda em maio, a universidade conseguiu recuperar 12 livros. Três obras foram interceptadas a caminho da Europa.

De acordo com a universidade, o furto foi constatado em outubro de 2016, quando a Polícia Civil de São Paulo encontrou peças do acervo da UFRJ. Ao confirmar o furto, a instituição registrou o crime junto à PF e abriu sindicância para investigar eventuais responsabilidades.

A sindicância, que se encerrou em março de 2017, constatou que o processo de reforma do edifício na Praia Vermelha pode ter favorecido a ação criminosa e que a ação foi feita por alguém que possuía informação sobre a importância da coleção. A universidade informou também que, após o registro do furto, adotou práticas para reforçar os mecanismos de segurança, em especial os relativos à proteção de acervos raros.

Em nota, a reitoria da UFRJ informou que "a Polícia Federal de Campina Grande, Paraíba, recuperou os dois volumes que compõem a obra Cartas do P. Antonio Vieyra, furtados da Biblioteca Pedro Calmon da UFRJ em 2016. Os livros serão reincorporados ao acervo da universidade".

Últimas de Rio de Janeiro