Polícia Civil prende quadrilha de roubo de carga na Baixada Fluminense

A operação 'Load' aconteceria nesta segunda-feira, mas foi antecipada para sábado após o vazamento de informações. Criminosos eram especializados e contavam com uma rede de informantes inclusive das empresas das cargas

Por RAFAEL NASCIMENTO

Os presos são acusados de extorquir empresas transportadoras
Os presos são acusados de extorquir empresas transportadoras -

Rio - Dez pessoas foram presas no último sábado acusadas de fazem parte de uma quadrilha especializada em roubos de cargas na região de Seropédica, na Baixada Fluminense. A operação 'Load' aconteceria nesta segunda-feira, mas foi antecipada após o vazamento de informações. Outras dez pessoas estão sendo procuradas. Entre elas, o líder da organização.

Segundo a Polícia Civil, a quadrilha roubava qualquer tipo de carga em diversas cidades da Baixada, entre elas Seropédica, Itaguaí e Mangaratiba. Os investigadores descobriram que os criminosos eram especializados e contavam com uma rede de informantes — inclusive das empresas das cargas — que passavam detalhes diariamente para o bando.

Em quase um ano, a quadrilha foi responsável por mais de 30 roubos na região, o que levou a um prejuízo de, pelo menos R$ 3 milhões aos comerciantes lesados.  As cargas preferidas dos roubadores eram carnes caras, cigarros e bebidas alcoólicas, já que essas mercadorias são de fácil armazenamento e revenda, aumentando o lucro da organização.

Ao longo da investigação, que durou pouco mais de cinco meses, verificou-se que, além dos crimes de roubo, a organização criminosa praticava também o crime de extorsão contra as empresas transportadoras, fazendo-se passar por uma suposta “milícia privada”, evitando que fossem novamente roubadas. Além disso, as investigações demonstraram que alguns comerciantes integravam a organização criminosa, ora encomendando as cargas a serem roubadas, ora atuando diretamente nos roubos, seja emprestando o veículo para transbordo da carga, seja emprestando seus terrenos para guardar a carga roubada.

Entre os presos está Amanda Oyassi Mendonça de Oliveira. Ao DIA, Mauro Cesar da Silva Junior, delegado titular da 48ª DP (Seropédica), contou que a mulher era a informante do grupo. "Ela passava informações dos caminhões a serem roubados. Ela ficava em pontos estratégicos e quando passava um caminhão de carga, em especial os de carnes, cigarros e bebidas, ela avisava aos comparsas que estavam na rua a espera", diz o delegado. "Além disso, ela avisava sobre viaturas policiais que circulavam na região e sobre blitz perto de onde os caminhões que seriam roubados estavam", completou.

Também foram presos três comerciantes. Marcio Vidal de Figueiredo, Gilberto Rezende Vieira e Luciano da Silva Gomes. Eles são acusados pela polícia de encomendar dos traficantes cargas roubadas. Outros empresários do município deverão ser presos a qualquer momento.

Segundo o delegado, na operação de sábado, foram presos quem roubava, algumas pessoas que receptavam e integrantes da organização criminosa responsáveis por passar informações sobre os veículos de carga que seriam roubados. "Com a prisão dos integrantes da organização criminosa, certamente, o roubo de cargas diminuirá consideravelmente na região afetada, diminuindo os prejuízos causados às empresas e possibilitando um aumento na geração de receitas por parte dos municípios afetados e o próprio estado do Rio", disse Junior.

Últimas de Rio de Janeiro