Rio de Janeiro recebe título da Unesco de primeira Capital Mundial da Arquitetura

O anúncio foi feito em Paris, na França, nesta sexta-feira, e a secretária municipal de Urbanismo, Verena Andreatta, representou a Prefeitura do Rio na cerimônia. Em 2020, o Rio será sede do 27º Congresso Mundial de Arquitetos

Por O Dia

Variedade arquitetônica da cidade do Rio de Janeiro fez ela ser a primeira a receber o título de Capital Mundial da Arquitetura
Variedade arquitetônica da cidade do Rio de Janeiro fez ela ser a primeira a receber o título de Capital Mundial da Arquitetura -

Rio - O Rio de Janeiro, com sua variedade de estilos arquitetônicos, tornou-se a primeira Capital Mundial da Arquitetura pela  Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco). O anúncio foi feito em solenidade em Paris, na França, nesta sexta-feira.  A secretária municipal de Urbanismo, Verena Andreatta, representou a Prefeitura do Rio na cerimônia. Em 2020, o Rio será sede do 27º Congresso Mundial de Arquitetos, que ocorre a cada três anos, e, a partir da edição carioca, a cidade que sediar o evento receberá também o título.

Andreatta destacou os impactos econômicos e sociais do título conferido pela Unesco: "A cidade vai entrar num momento de debate sobre as condições urbanas. Não só o Rio, mas todas as capitais mundiais, que estão estruturando seu futuro para as próximas décadas. Estima-se que venham ao Rio, em 2020, durante o congresso mundial, mais de 25 mil pessoas e, com isso, nossa cidade também vai ganhar com o turismo, com empregos e renda".

O prefeito do Rio, Marcelo Crivella, comemorou o título à Cidade Maravilhosa. "Nosso compromisso é o de transformar o ano de 2020 em um marco na história cultural da cidade. Além da visibilidade internacional, teremos a oportunidade de ampliar a relação de pertencimento dos moradores da nossa cidade com o seu patrimônio histórico e arquitetônico, difundindo e preservando esse acervo", falou. "O Rio de Janeiro possui uma arquitetura que reflete a riqueza de culturas que formam a sociedade brasileira, por ter sido porto e capital do Brasil por mais de dois séculos", completou.

Variedade arquitetônica da cidade do Rio de Janeiro fez ela ser a primeira a receber o título de Capital Mundial da Arquitetura - Divulgação

O governador Wilson Witzel também falou sobre o título. "Esse título é recebido com muita felicidade, mas também nos traz a responsabilidade de trabalhar arduamente, com as outras esferas administrativas, para ajudar a desenvolver o Rio de Janeiro. O Rio é um casamento perfeito entre a natureza deslumbrante e a arquitetura de gênios modernistas como Oscar Niemeyer, Lúcio Costa e Roberto Burle Marx. Além disso, a cidade preserva um patrimônio arquitetônico muito rico, capaz de reunir, muitas vezes em um mesmo bairro, prédios do Brasil-Colônia, passando pelo período eclético do início do século XX, até edifícios tecnológicos de hoje", falou.

 

O presidente do 27º Congresso Mundial de Arquitetos UIA 2020 RIO, Sérgio Magalhães frisou que a decisão da Unesco abre novas perspectivas para a cidade e o país: "Ser Capital Mundial da Arquitetura e sediar o Congresso Mundial de Arquitetos formam um binômio de extrema importância para a cidade do Rio e para a cultura arquitetônica brasileira. Especialmente, porque proporciona um diálogo com a sociedade, que deverá criar um novo tempo para o enfrentamento dos desafios das nossas cidades", destacou Magalhães.

O título foi criado ano passado pela Unesco e pela União Internacional dos Arquitetos (UIA). O Rio foi escolhido pela UIA por seu passado arquitetônico, histórico e cultural, mas também pelos desafios que enfrenta.

O congresso, no entendimento de Magalhães, vai gerar reflexão sobre o futuro carioca. Cidade de grande diversidade urbanística, o Rio tem em seu território situações comuns em grandes centros urbanos, tanto de países mais pobres ou em desenvolvimento como de nações ricas. “O que a torna um caso quase único de interesse para os arquitetos do mundo todo”, assinalou Magalhães.

"A cultura e a arquitetura são fundamentais para a superação de desafios e soluções inovadoras para os espaços urbanos. Ter o Rio como a primeira Capital Mundial da Arquitetura é um fato a ser celebrado pelo país, uma vez que a cidade se tornará o palco de uma série de eventos, em 2020, para tratar de temas importantes para o desenvolvimento, como cultura, planejamento urbano, mobilidade, obras públicas e a construção de cidades mais inclusivas. Além desse título, a cidade ainda é reconhecida por abrigar dois sítios do Patrimônio Mundial Cultural: paisagens cariocas entre a montanha e o mar e o Sítio Arqueológico Cais do Valongo",  comentou a diretora da Unesco no Brasil, Marlova Jovchelovitch Noleto.

Variedade no 'museu de céu aberto' do Rio

A mistura rica de estilos faz do município um verdadeiro museu a céu aberto, como suas várias gerações arquitetônicas. Além do título de Capital Mundial da Arquitetura, a cidade também tem foi a primeira do mundo a receber da Unesco o título de paisagem cultural urbana.

No Rio, moderno, eclético e art-déco são predominantes, mas também há espaço para a arquitetura neoclássica, contemporânea e do período colonial. São prédios e espaços públicos que representam diversas temporalidades, com diferentes influências, e evidenciam a transformação da cidade.

"Correntes dominantes do pensamento urbanístico, principalmente da Europa, influenciaram a arquitetura do Rio de Janeiro. As ideias que chegaram aqui foram aplicadas, transformadas e adaptadas com grande inventividade ao nosso território, sua geografia, topografia e condição natural, sempre com a peculiaridade do nosso tropicalismo. Os elementos próprios que emergiram da criatividade carioca têm sido tão potentes que converteram sua arquitetura em referência mundial",  explica a secretária Verena Andreatta.

Esse processo de influência e adaptação dura mais de quatro séculos. Sediar o 27º Congresso Mundial de Arquitetos como a primeira Capital Mundial da Arquitetura UIA/Unesco 2020 representará um olhar mundial

sobre esse passado arquitetônico, histórico e cultural.

"O Rio de Janeiro é uma das cidades mundiais mais ricas em patrimônio arquitetônico, seja arquitetura do edifício, seja arquitetura do espaço público. Temos exemplares representativos dos mais importantes estilos arquitetônicos, desde a Colônia até a contemporaneidade", diz o arquiteto e urbanista Sérgio Magalhães, presidente do Comitê Executivo do 27º Congresso Mundial de Arquitetos UIA2020RIO.

 

Galeria de Fotos

Variedade arquitetônica da cidade do Rio de Janeiro fez ela ser a primeira a receber o título de Capital Mundial da Arquitetura Divulgação
Secretária municipal de Urbanismo, Verena Andreatta, representou a Prefeitura do Rio na solenidade em Paris, na França Divulgação

Comentários