Crivella anuncia expansão de programa para reduzir vulnerabilidade de famílias carentes

Territórios Sociais contempla regiões com os menores Índices de Progresso Social

Por O Dia

Marcelo Crivella com Alain Grimard, oficial sênior da ONU-Habitat (esquerda) e Mauro Osório, presidente do Instituto Pereira Passos
Marcelo Crivella com Alain Grimard, oficial sênior da ONU-Habitat (esquerda) e Mauro Osório, presidente do Instituto Pereira Passos -

Rio - O prefeito Marcelo Crivella anunciou, nesta sexta-feira, no Palácio da Cidade, a expansão do Programa Territórios Sociais, que visa a reduzir a vulnerabilidade das famílias cariocas. O programa será estendido aos grandes complexos de favelas com os menores Índices de Progresso Social (IPS): Alemão, Maré, Chapadão, Pedreira, Vila Kennedy, Lins, Penha, Cidade de Deus, Jacarezinho e Rocinha.

"Nós estamos ampliando o projeto Territórios Sociais em dez vezes. Nos dois primeiros anos, visitamos 20 mil residências. São pessoas muito pobres, esquecidas na cidade do Rio de janeiro. Nem filtro de água elas tinham. As pessoas não tinham CPF, a maioria não tinha carteira de identidade, não participavam do Bolsa Família, do Cartão Carioca, as crianças estavam fora de creches, de escolas, e foi feito esse trabalho para aquelas 20 mil famílias. Agora, vamos visitar 200 mil residências, e fizemos um convênio com a ONU, que vai nos ajudar com isso", disse o prefeito.

Em 2018, por meio de ações integradas com diversos órgãos municipais, cerca de 2.900 famílias que não tinham acesso aos serviços públicos foram atendidas. Nesta nova fase de ampliação dos Territórios Sociais, o objetivo é beneficiar mais de 420 mil pessoas.

O programa é desenvolvido em conjunto pela Secretaria da Casa Civil, pelo Instituto Pereira Passos e pelas secretarias de Saúde; de Assistência Social e Direitos Humanos; de Educação; de Urbanismo, Infraestrutura e Habitação; de Cultura; e de Desenvolvimento, Emprego e Inovação.

A partir de agora, o programa será coordenado em parceria com o escritório da ONU Habitat para a América Latina que, além de apoio institucional, contribuirá com sua expertise em metodologias e intercâmbios de ferramentas e experiências internacionais.

Comentários