Secretaria determina levantamento de quem recebe aluguel social no estado

Ao DIA, a secretária de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, Fabiana Bentes, disse que o objetivo é evitar que pessoas que não precisem do benefício continuem recebendo, além de coibir fraudes. 'Esse senso não acontece desde 2010', disse

Por RAFAEL NASCIMENTO

Deslizamento de encosta no Morro da Boa Esperança, em Niterói: prefeituras do estado terão que repassar lista com beneficiados com o aluguel social
Deslizamento de encosta no Morro da Boa Esperança, em Niterói: prefeituras do estado terão que repassar lista com beneficiados com o aluguel social -

Rio - A Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos determinou que as prefeituras repassem a lista com as quase 7 mil famílias que recebem aluguel social no estado. As 92 cidades do estado não fazem o repasse desta relação há quase 10 anos. De acordo com a secretária Fabiana Bentes o objetivo é evitar que pessoas que não precisem do benefício continuem recebendo, além de coibir fraudes.

"Esse senso não acontece desde 2010. Gastamos por mês R$ 3 milhões e 300 mil reais e não sabemos se de fato as pessoas que deveriam receber o aluguel social estão recebendo e se ainda precisam receber. Vamos fazer uma interlocução com as prefeituras para receber esta listagem", disse Bentes ao DIA.

Outra decisão de Fabiana é criar um cadastro de remediação de crises. "Estamos montando uma lista cadastral de pessoas que vivem em áreas de risco de todos os municípios do estado", contou com exclusividade ao DIA.

Fabiana Bentes - Sergio Ramoz / DIVULGA

FIA sob intervenção do governo

Sob intervenção desde o dia 1º, Fabiana diz que a Fundação Infância e Adolescência (FIA) não tem mais a relevância e protagonismo que existia ao longo do tempo. De acordo com a secretaria, todos os contratos assinados desde 2015 serão revistos. Por isso, o governo do estado vai fazer uma intervenção preventiva na instituição.

"Vamos analisar tudo que aconteceu, tanto do lado de quem presta serviço, quanto do nosso lado como fundação. Vamos trazer para essa fundação o seu protagonismo que ela tem que exercer para a infância e para a adolescência", afirmou.

O processo deverá durar por até seis meses. Nesse tempo, quem presidirá a FIA será a própria secretária. "Durante esse tempo serão revistos todos os contratos e convênios. Queremos ver como funcionava quando o estado não estava (em calamidade) e o que aconteceu quando entrou (em calamidade) para fazermos uma comparação. Ao mesmo tempo queremos entender se houve ou não repasses do estado para essas fundações e organizações que atuam com a FIA. Após isso, vamos reorganizar a FIA", falou.

Nos próximos dias, a sede de Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos sairá da Praça XV e será levada para Botafogo, onde fica o casarão da FIA. "Vamos para lá como secretaria e vamos trazer essa ressignificação da relevância. Vamos cuidar da infância e da juventude como a base da estrutura do estado. Precisamos trabalhar direito. Essa intervenção é preventiva no sentido de entendermos tudo o que está acontecendo e melhor o que for possível", conclui.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Galeria de Fotos

Deslizamento de encosta no Morro da Boa Esperança, em Niterói: prefeituras do estado terão que repassar lista com beneficiados com o aluguel social Arquivo / Agência Brasil
Fabiana Bentes é ex-secretária Sergio Ramoz/DIVULGAÇÃO

Comentários