Vídeo: tiros e briga entre torcidas marcam fim de clássico no entorno do Maracanã

Após jogo entre Flamengo e Fluminense, torcedores trocaram socos e pedradas. Tiros também foram ouvidos em Vila Isabel

Por O Dia

Torcedores entraram em confronto após clássico no Maracanã
Torcedores entraram em confronto após clássico no Maracanã -

Rio - O fim do jogo da semifinal da Taça Guanabara, entre Flamengo e Fluminense, nesta quinta-feira, no Maracanã, na Zona Norte, foi marcado por brigas entre as torcidas. Vídeos mostram momentos de desespero no entorno do estádio, com torcedores jogando pedras, apanhando e correndo. Motoristas que tentavam transitar pelo bairro ficaram no meio da confusão.

De acordo com o aplicativo de violência OTT, por volta das 23h30, testemunhas relataram ter ouvido tiros vindos de um carro que passava pela Avenida 28 de Setembro, em Vila Isabel, bairro próximo ao Maracanã. O ato seria em provocação aos torcedores rivais.

Segundo a Polícia Militar, torcedores do Flamengo e do Fluminense se enfrentaram em algumas ruas da Tijuca e Vila Isabel. No entanto, não houve prisões, já que eles se dispersaram antes da chegada das equipes do 6º BPM (Tijuca) e do Batalhão de Polícia de Choque (BPChq).

Ainda de acordo com a polícia, o Batalhão Especial de policiamento em Estádios (BEPE) prendeu, na entrada do Maracanã, oito integrantes da torcida Raça Rubro-Negra por descumprimento de ordem judicial que proíbe os integrantes desta torcida organizada de frequentar os jogos. Todos foram conduzidos para o Juizado Especial do Torcedor e de Grandes Eventos. 

Para o esquema de segurança da noite, a PM contou com 320 policiais nas escoltas das delegações e arbitragem, dentro do estádio. Além desses militares, o 6º BPM (Tijuca), o Regimento de Polícia Montada (RPMont) e o Batalhão de Ações com Cães (BAC) participaram do Patrulhamento no entorno do Maracanã e nas vias de acesso.

Nas estações de trem e metrô o apoio no policiamento das estações do Maracanã e de São Cristóvão ficou por conta do Grupamento de Polícia Ferroviária (GPFer).

 

Comentários