Segurança acusado de matar jovem com 'gravata' vai responder em liberdade

Acusado de homicídio culposo, Davi Ricardo Moreira Amâncio prestou depoimento na DH, pagou fiança e foi solto

Por Raimundo Aquino

Davi Ricardo Moreira Amâncio foi filmado dando um 'mata-leão' em Pedro Henrique de Oliveira Gonzaga
Davi Ricardo Moreira Amâncio foi filmado dando um 'mata-leão' em Pedro Henrique de Oliveira Gonzaga -

Rio - O segurança que deu um "mata-leão" em Pedro Henrique de Oliveira Gonzaga, de 19 anos, em um supermercado Extra da Barra da Tijuca foi ouvido na Delegacia de Homicídios da Capital (DH), mas foi solto após pagar fiança. Davi Ricardo Moreira Amâncio, de 32 anos, foi filmado no início da tarde desta quinta-feira, dando uma "gravata" no jovem, que morreu momentos depois. Após o depoimento, dado ainda ontem por cerca de 20 minutos, Davi pagou uma fiança e vai responder em liberdade pelo crime de homicídio culposo, quando não há intenção de matar.

Nas imagens gravadas (confira abaixo), Davi aparece imobilizando Pedro, deitado sobre o corpo dele o tempo todo. Pessoas em volta alertam para a violência da abordagem do segurança. "Está desmaiado, não está não?", alguém indagou, sobre o estado do jovem. "Está sufocando ele", disse uma mulher. "Ele está com a mão roxa", avisou outra. O segurança, no entanto, não sai de cima do jovem e ainda grita. "Você está mentindo" e "Cala a boca", são algumas das frases ditas.

O advogado de Davi conta que ele permaneceu naquela posição durante tanto tempo imaginando que Pedro estaria simulando um desmaio. "O segurança não acredita porque num primeiro momento já havia acreditado nesse desmaio e foi atacado, o que permitiu que o jovem até pudesse pegar a arma e disferir disparos com essa arma de fogo dentro do supermercado", defende André França Barreto.

De acordo com André, Pedro teria simulado um ataque convulsivo e desmaio e entrado em luta corporal com Davi e outro segurança, quando saiu do mercado. A mãe do jovem teria dito que ele era dependente químico e que estava sob efeitos de drogas. "Ele desperta dessa simulação, agride o segurança, entra em luta corporal, consegue retirar do coldre a arma do segurança, levanta e começa a ameaçar tanto esse segurança quanto outro e demais presentes no estabelecimento comercial", diz o advogado, sobre os momentos antes da imobilização do jovem.

Seguranças afastados

As imagens gravadas não mostram esses momentos relatados pelo advogado, com o início de uma possível luta, nem quando o segurança sai de cima de Pedro. 

O Corpo de Bombeiros chegou a fazer o socorro do jovem, que teve uma parada cardiorrespiratória ainda no mercado. Os militares conseguiram desfazer o quadro, mas ele teve outras duas paradas e morreu em seguida. Um vídeo mostra o momento em que os bombeiros tentam reanimar Pedro; confira!

O GPA, grupo que controla o Extra, informou que os seguranças envolvidos no caso já foram afastados de suas funções. "A empresa já abriu uma investigação interna e constatou de forma inicial que tratou-se de uma reação à tentativa de furto a arma de um dos seguranças da unidade da Barra da Tijuca", a empresa disse, em nota. "A empresa já abriu um boletim de ocorrência e está contribuindo com as autoridades para o aprofundamento das investigações".

Comentários