Tiroteio interrompe a circulação de trens na Zona Oeste

PM alega que foi recebida a tiros em Magalhães Bastos, onde investigava aberturas em passagens de nível

Por Meia Hora

Passageiros tiveram que aguardar a volta da circulação dos trens
Passageiros tiveram que aguardar a volta da circulação dos trens -

Rio - Um tiroteio interrompeu a circulação de trens por uma hora e 35 minutos na estação de trem de Magalhães Bastos, na Zona Oeste do Rio, na tarde desta sexta-feira. Segundo a concessionária Supervia, de 15h30 a 17h05, os trens do ramal Santa Cruz circularam apenas entre a Central do Brasil e Deodoro, na Zona Norte, e entre Santa Cruz e Realengo, ambos na Zona Oeste.

De acordo com a PM, agentes do Grupamento de Polícia Ferroviária (GPFer) realizavam um levantamento sobre aberturas de passagens de nível nas imediações da Estação de Magalhães Bastos, próxima da comunidade Curral das Éguas, quando criminosos atiraram contra as equipes. Ainda segundo a PM, houve confronto e os homens que atacavam os policiais fugiram abandonando no local um carregador de pistola calibre .40, um artefato explosivo, um radiocomunicador e um cinto de guarnição.

A corporação afirmou que não houve prisões ou feridos e que todo o material apreendido foi conduzido para a 33ª DP (Realengo), onde a ocorrência foi registrada. 

Na quinta-feira, houve uma ação parecida do GPFer na Favela do Triângulo, em Deodoro. Segundo a PM, entretanto, o único criminoso que estava no local fugiu. O grupamento investiga a ação de traficantes nessas passagens de nível, de cujas aberturas seriam usadas como rota de fuga durante operações policiais.

A Supervia afirma que já precisou interromper temporariamente a circulação dos trens em 12 ocasiões somente em 2019, devido a tiroteios em regiões próximas da linha férrea. Em 2018, foram 41 interrupções. "Milhares de passageiros são prejudicados", diz a concessionária.