Bairros de Duque de Caxias sofrem com problemas na saúde e educação

Apesar de ser o maior PIB da Baixada Fluminense, moradores da cidade reclamam da falta de serviços e de áreas de lazer

Por Aline Cavalcante

Grama sintética da quadra está destruída. Moradores jogaram areia na tentativa de tampar buracos
Grama sintética da quadra está destruída. Moradores jogaram areia na tentativa de tampar buracos -

Rio - A cidade com o maior Produto Interno Bruto (PIB) da Baixada Fluminense e o segundo maior do Estado do Rio parece não traduzir tal número na prática. Com problemas nas áreas de saúde, educação e lazer, moradores de Duque de Caxias relataram diversas insatisfações ao 'Dia no seu Bairro'.

"Falta lazer para as nossas crianças. Quase não temos opções", reclama Márcia Patricia Pedra, 45. Segundo ela, áreas para atividades recreativas só nas praças e quadras, mas que, muitas vezes, estão abandonadas. É o caso da quadra da Rua Doutor João Clementino, no bairro Olavo Bilac. Piso e grade de proteção estão em condições precárias. "A prefeitura não cuida, está tudo abandonado", afirma Edson Taciano.

Na tentativa de tampar buracos, moradores clocaram areia no piso da quadra. "É a única opção de lazer das crianças. Quando dá, nós mesmos fazemos alguns consertos, uma vez que se esperarmos pela prefeitura não sai nada", conta William Machado, 35.

Na saúde, o problema é a dificuldade de atendimento. Moradores da Rua Bernardino de Campos, em Jardim Leal, relatam que não foram nem mesmo cadastrados pelos agentes e, por conta disso, não conseguem atendimento no posto do bairro. "É um absurdo nos excluírem assim. Por que não temos direito?", indaga Marilene da Silva, 57.

Também no Jardim Leal, a filha de Rachel Oliveira, que tem dois anos de idade, ainda não está matriculada na creche do bairro. O motivo, segundo ela, é que não há vagas. "Fiz a inscrição dentro do prazo, mas até agora eu não consegui vaga. Está difícil", desabafa.

No mesmo bairro, Helen Oliveira, 27, conseguiu matricular o filho na escola. Só que um detalhe não saiu como ela imaginava. Só tinha lugar para ele em Gramacho. "É longe de casa e fui obrigada a pagar transporte escolar. Mas, este ano, não terei como arcar com esta despesa", diz.

A Secretaria de Educação informa que a partir da segunda semana de março estará à disposição para tentar ajudar aqueles que por algum motivo não conseguiram fazer a matrícula. O endereço é Rua Prefeito José Carlos Lacerda 1424, Jardim Vinte e Cinco de Agosto, e o atendimento acontece segundas, quartas e sextas-feiras, de 9h às 17h. Já a Secretaria de Obras avisa que irá encaminhar equipe técnica para avaliar a quadra de Olavo Bilac e tentar solucionar os problemas relatados pelos moradores.

Em relação à reclamação do posto de saúde do bairro Jardim Leal, a Secretaria de Saúde explica que existe um limite de cadastro determinado pelo Ministério da Saúde e que este patamar de pessoas cadastradas na unidade pode ter sido atingido. A pasta, contudo, promete verificar a situação.

Galeria de Fotos

Grama sintética da quadra está destruída. Moradores jogaram areia na tentativa de tampar buracos Fernanda Dias/AgÊncia O Dia
William: abandono em quadra no bairro Olavo Bilac Fernanda Dias/Agencia O Dia
Márcia Patricia Pedra se queixa da falta de lazer Fernanda Dias/Agencia O Dia
Marilene da Silva pede melhorias na área da saúde Fernanda Dias/Agencia O Dia
Edson Taciano pede que prefeitura cuide mais da cidade Fernanda Dias/Agencia O Dia
Helen Oliveira quer transferência de escola para o filho Fernanda Dias/Agencia O Dia
Rachel Oliveira quer mais vagas em creche da região Fernanda Dias/Agencia O Dia

Comentários