Paisagista espancada descreve o horror sofrido durante quatro horas

Elaine Caparroz, que teve alta médica na sexta-feira, usou redes sociais para agradecer apoio recebido e protestar contra índices de feminicídio no Brasil

Por O Dia

Elaine Caparroz
Elaine Caparroz -

Rio - Uma semana após ser espancada durante quatro horas, a paisagista Elaine Caparroz, 55 anos usou as redes sociais para agradecer as mensagens de carinho e apoio. No texto, a mulher descreve o terror vivido na madrugada do sábado passado e afirma que jamais esquecerá das agressões praticadas por Vinicius Serra, 27 anos, no primeiro encontro dos dois no apartamento dela na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio.

"Fui agredida por várias horas seguidas, o que demonstra intensa crueldade e a intenção dele de matar, só não o fez porque eu obtive socorro, ou seja por uma circunstância que não dependeu da vontade dele! Apesar dos meus gritos de socorro ele não titubeou e prosseguiu com o espancamento", escreveu.

A paisagista também alerta para as estatísticas do Brasil no ranking de feminicídio — assassinato de mulheres em contextos discriminatórios. "O país ocupa o 5º lugar, segundo mapa da violência de 2015. Vamos juntos fazer o possível para combater a violência contra a mulher! 'NEM UMA A MENOS' Deve ser a bandeira de toda sociedade que precisa agir diante dessas ocorrências!", completou a paisagista. 

Elaine recebeu alta na manhã de sexta-feira após ficar sete dias internada no Hospital Casa de Portugal, no Rio Comprido, Zona Norte. O autor das agressões está preso por tentativa de feminicídio. Ele foi encaminhado na sexta-feira para o hospital psiquiátrico Roberto Medeiros, no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, na Zona Oeste, para avaliação de sanidade mental.

Comentários