Mais Lidas

Juíza manda soltar ginecologista preso por estupro

Apesar de reconhecer que o crime de estupro é de "natureza gravíssima" e de "caráter hediondo", a magistrada levou em consideração as condições do preso, sua avançada idade e "conduta ilibada"

Por ADRIANO ARAÚJO

O ginecologista Sílvio Pereira foi levado para audiência de custódia
O ginecologista Sílvio Pereira foi levado para audiência de custódia -

Rio - A juíza Amanda Azevedo Ribeiro Alves concedeu liberdade provisória ao ginecologista Silvio Pereira, de 75 anos, preso acusado de estupro de uma paciente em sua clínica em Bonsucesso, na Zona Norte, na última quinta-feira. Na decisão, ocorrida em audiência de custódia, sexta-feira, apesar de reconhecer que o crime de estupro é de "natureza gravíssima" e de "caráter hediondo", a magistrada levou em consideração as condições do preso, sua avançada idade e "conduta ilibada".

"Trata-se de um preso, médico ginecologista, com mais de 45 anos de profissão que possui, até esse momento, conduta ilibada, conforme declarações nos autos de testemunhas, suas pacientes. Ademais, possui 75 anos, é portador de doenças graves, o que requer uma análise deste juízo quanto à razoabilidade de imposição de medida extrema de prisão para acautelar a ordem púbica, o processo ou a aplicação da lei penal", diz parte da sentença, acrescentando que outras medidas cautelares, como a liberdade provisória, atende ao caso.

Na mesma decisão, a juíza alega também que entende que os "fatos precisarão ser melhor esclarecidos". "Afim de que o Ministério Público possa embasar sua denúncia de forma assertiva e acertada, adequando-se a conduta ao fato típico previsto em lei", dissertou.

O ginecologista terá que comparecer mensalmente em juízo, informar à Justiça eventual mudança de endereço e está proibido de deixar a cidade por mais de 10 dias sem prévia autorização judicial. A juíza também determinou a suspensão de sua atividade profissional e ele não pode se aproximar da vítima e nem das testemunhas do caso. O descumprimento de qualquer uma das medidas poderá causar a sua prisão.

Silvio não tem antecedentes criminais. Se condenado, pode pegar de seis a dez anos de prisão. A Polícia Civil pede que mais vítimas que tenham sofrido abusos do médico denunciem na 21ª DP (Bonsucesso), que investiga o caso.

'Doido para comer uma novinha', disse médico, segundo vítima

Em depoimento à polícia, a vítima, de 26 anos, disse o ginecologista começou a constrangendo, perguntando se ela tinha mantendo relações sexuais e se ela tinha interesse em homens mais velhos. "Você se interessa por homens assim... mais velhos, acima de 70?", disse o médico, segundo a mulher, que respondeu que não.

Após deitar na maca, sem calcinha, os abusos aumentaram, com Silvio dizendo que "estava doido para comer uma novinha" como ela, a masturbando com os dedos e perguntando se ela gostaria de "gozar ali". "Eu poderia fazer isso agora com você?", teria dito o ginecologista. A vítima, em pânico, sair correndo e chorando do local. Com a ajuda de familiares, acionou a polícia.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários