Agentes infiltrados em cemitério prendem dois supostos integrantes da quadrilha de Charlinho do Lixão

Bruno Augusto da Silva e Douglas Constantino Gonçalves estavam em um dos seis ônibus alugados para transportar moradores da Favela do Lixão até o sepultamento

Por Maria Luisa de Melo

Pelo menos seis ônibus levaram moradores da Favela do Lixão para o enterro do traficante
Pelo menos seis ônibus levaram moradores da Favela do Lixão para o enterro do traficante -

Duque de Caxias - Dois homens suspeitos de integrar a quadrilha do traficante Charles Jackson Neres Batista, o Charlinho do Lixão, foram presas logo após o sepultamento do bandido, na tarde desta quarta-feira, no Cemitério do Corte Oito, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

Segundo informações de agentes do serviço reservado do 15º BPM (Caxias), agentes da 59ªDP (Caxias) se infiltraram entre os presentes e identificaram Bruno Augusto da Silva e Douglas Constantino Gonçalves.

A dupla estava em um dos seis ônibus alugados para transportar moradores da Favela do Lixão até o cemitério. A polícia não informou, até o momento, se os homens tinham mandados de prisão em aberto.

Terror em Caxias

Mais cedo, apesar do forte policiamento no Centro, o comércio da cidade voltou a fechar de tarde. O clima era de grande apreensão entre os lojistas por isso a decisão de encerrar as atividades mais cedo, um dia depois da morte do traficante Charlinho do Lixão. 

Funcionários que já haviam sido liberados, à tarde, tiveram dificuldade para voltar pra casa. Em um ponto de ônibus, na Avenida Governador Leonel de Moura Brizola, perto do calçadão, a atendente Lívia Regina Soares, de 36 anos, preferiu pegar um Uber. "Estou há meia-hora esperando. Não passa nenhum ônibus para o João Pessoa (bairro)", disse.

Algumas empresas de ônibus de Caxias, como a Reginas, União e Santo Antônio, estão operando com a frota reduzida.

Comentários