Escolas de samba repercutem virada de mesa da Liesa

Agremiações que votaram contra a decisão em manter a Imperatriz Leopoldinense no Grupo Especial publicaram nota oficial em redes sociais

Por Jenifer Alves*

Em decisão da reunião plenária, Imperatriz não será rebaixada e continua no Grupo Especial
Em decisão da reunião plenária, Imperatriz não será rebaixada e continua no Grupo Especial -
Rio - Na noite desta segunda-feira, a votação para a permanência da Imperatriz Leopoldinense no Grupo Especial do carnaval carioca, levantou polêmicas sobre a gestão da Liga das Escolas de Samba (Liesa). Nas redes sociais, a Vila Isabel postou um comunicado sobre o atual quadro do carnaval carioca. Na publicação a agremiação diz que repudia as escolas que votaram a favor da decisão e que não compartilha da resolução, pois fere princípios éticos e morais da agremiação.
Em represália à decisão da Liesa, a Beija-Flor, decidiu por cancelar o evento para lançamento do Samba-enredo de 2020.A escola publicou a decisão em seu perfil nas redes sociais. A Liesa decidiu por não comentar o caso.
A Viradouro, de Niterói, também utilizou as redes sociais para falar sobre o caso. Na postagem, a escola diz que reafirma sua posição contra a quebra do regulamento.
O acordo de ajustamento de conduta, proposto pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) prevê o pagamento de multa de R$ 750 mil para o caso de uma terceira virada de mesa da Liesa, que vá contra os regulamentos e não permita o rebaixamento de uma escola. No documento consta a assinatura do ex-presidente Jorge Castanheira que renunciou ao cargo após a votação da noite de ontem.
Durante a reunião, oito escolas votaram a favor da virada de mesa. São elas: Mocidade, Salgueiro, Grande Rio, Unidos da Tijuca, União da Ilha, Tuiuti e São Clemente. Todas decidiram por não comentar sobre o caso.

As agremiações que votaram contra a permanência da Imperatriz no Grupo Especial foram Vila Isabel, Beija-Flor, Portela, Viradouro e a Campeã do carnaval deste ano, a Mangueira. Procurada, a Liesa afirmou que também não haverá manifestação da entidade sobre a votação. Deverá acontecer nova eleição para presidente da Liga.


 

*Estagiária sob a supervisão de Clarissa Monteagudo

Comentários