Perseguição policial termina com três mortos no Centro

Suspeitos em um Honda Fit trocaram tiros com policiais até colisão na região da Candelária

Por Juliana Pimenta

Policiais perseguiram carro de suspeitos, que terminou baleado sobre a calçada, em frente à agência bancária
Policiais perseguiram carro de suspeitos, que terminou baleado sobre a calçada, em frente à agência bancária -
Rio - Uma perseguição policial terminou com três pessoas mortas e outras duas feridas, na manhã deste domingo, no Centro do Rio. De acordo com a PM, suspeitos saíram de um baile funk no Morro Santo Amaro, no Catete, em um Honda Fit em alta velocidade. O grupo então foi interceptado por PMs do 5º BPM (Praça da Harmonia) na esquina das avenidas Beira-Mar e Antônio Carlos, no Centro, mas o motorista não obedeceu a ordem de parada, o que iniciou a perseguição e tiroteio pela Rua Primeiro de Março. A perseguição terminou quando o carro dos suspeitos, já marcado por tiros, atingiu a calçada do banco Santander, na Candelária. O caso ocorreu por volta de 10h30.
O tiroteio deixou ainda dois feridos. Um PM, atingido de raspão no braço, e um suspeito. Eles foram encaminhados para o Hospital Central da Polícia Militar e Hospital Municipal Souza Aguiar, respectivamente. O policial militar recebeu atendimento médico e apresenta quadro estável. Não há informações sobre o estado de saúde do suspeito.
Armas e carregadores apreendidos com os suspeitos - Divulgação
Três pistolas calibre 9mm foram apreendidas com ocupantes do carro, além de vários carregadores, um celular e um rádio comunicador. A perícia da Delegacia de Homicídios da Capital (DHC) foi acionada.
Um morador de rua, que teve a identidade preservada, estava sentado na calçada quando viu a perseguição. Ele disse que assistiu o motorista e um homem no banco do carona saindo do carro e atirando contra os policiais.

"Foram as únicas pessoas que eu vi saindo do carro. Eu corri para me esconder e quando voltei, reparei que tinha um homem caído, diferente dos outros dois. Parecia ser um morador de rua, mas não o conheço", explicou.
Policiais perseguiram carro de suspeitos, que terminou baleado sobre a calçada, em frente à agência bancária - Reginaldo Pimenta / Agência O Dia
Ele também disse que ter escapado da linha de tiro foi ajuda divina. "Eu confio muito em Deus, ele teve o cuidado de me deixar acordado e sentado na hora para conseguir correr".

Galeria de Fotos

Policiais perseguiram carro de suspeitos, que terminou baleado sobre a calçada, em frente à agência bancária Reginaldo Pimenta / Agência O Dia
Armas e carregadores apreendidos com os suspeitos Divulgação
Policiais perseguiram carro de suspeitos, que terminou baleado sobre a calçada, em frente à agência bancária Reginaldo Pimenta / Agência O Dia

Comentários