Projeto que ensina samba nas escolas pede doação de instrumentos musicais

Educasamba promove aulas gratuitas para 40 jovens em Niterói, mas está com dificuldades para manter oficinas

Por O Dia

Projeto EducaSamba promove cultura do samba nas escolas
Projeto EducaSamba promove cultura do samba nas escolas -
Rio - Criado em 2018, o projeto EducaSamba, promove oficinas de percussão, cavaquinho, samba no pé, mestre-sala e porta-bandeira para cerca de 40 jovens, na Escola Técnica Estadual Henrique Lage, em Niterói. A iniciativa gratuita, entretanto, está sofrendo com a dificuldade financeira para a compra de instrumentos musicais. Por isso, resolveu promover uma campanha nas redes sociais para doação dos itens. 
O projeto demanda diversos materiais: tamborins, chocalhos, repiques, caixas, surdos, baquetas e talabartes. Segundo integrantes do EducaSamba, há dificuldade na manutenção dos instrumentos adquiridos, o que torna mais lento o aprendizado dos alunos. 
Idealizado por Pedro de Oliveira, diretor de Harmonia do Viradouro, o EducaSamba ainda promove palestras e atividades culturais. As aulas de samba são semanais e participam alunos, ex-alunos, professores e funcionários da Escola Henrique Lage, com 25% das vagas abertas para quem não tem vínculo com a instituição.
As doações dos instrumentos podem ser entregues na própria escola, localizada na Rua Guimarães Júnior, 182, no bairro do Barreto, em Niterói. O horário de entrega é flexível e pode ser combinado com o diretor do projeto, Pedro, pelo número 21 980349144. Mais informações do projeto estão disponíveis nas redes sociais do EducaSamba e pelo link bit.ly/conhecaoprojetoeducasamba.
Alunos do projeto melhoram desempenho escola
EducaSamba promove aulas de percussão, cavaquinho, entre outras - Divulgação
A direção da escola técnica é a maior apoiadora do EducaSamba, reforça o diretor do projeto. "Finalizamos os trabalhos do ano passado com elogios de professores e direção da escola em relação à melhora do desempenho dos alunos que participam do projeto. Ficaram mais responsáveis com suas tarefas escolares, melhoraram as notas, passaram a vestir a camisa da escola e valorizá-la, além de conquistarem uma nova autoestima", afirmou Pedro. 
"Desde quando entrei no projeto comecei a olhar o mundo do samba com outros olhos, notei que nele há muita cor, cultura e amor", contou o aluno da oficina de percussão Dunames Santiago, que quer trabalhar na área. 
Para o fundador Pedro de Oliveira, o samba precisa de renovação e de novos sambistas, engajados em mudanças significativas e fundamentais que façam desse universo um lugar mais inclusivo, justo e harmonioso. "Nosso maior propósito é transformar a sociedade e, logo, o samba. Do projeto, sairão novos sambistas conscientes do respeito ao próximo, de valores éticos e de uma conduta totalmente honesta", defendeu ele. "Acreditamos que o EducaSamba irá quebrar as barreiras do preconceito que afasta a população da sua própria raiz cultural. E, assim, a cultura brasileira ganhará novos adeptos e admiradores", acrescentou.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Galeria de Fotos

Projeto EducaSamba promove cultura do samba nas escolas Divulgação
EducaSamba promove aulas de percussão, cavaquinho, entre outras Divulgação

Comentários