Liminar autoriza a volta de Waguinho à prefeitura

Político está afastado do cargo em Belford Roxo desde 30 de abril, quando foi alvo de operação da Polícia Civil e do Ministério Público

Por GUSTAVO RIBEIRO E RAFAEL NASCIMENTO

Rio de Janeiro - RJ  - 13/06/2019 - Administraçao publica irresponsavel geral inumeros problemas em Belford Roxo -  Foto Reginaldo Pimenta / Agencia O Dia
Rio de Janeiro - RJ - 13/06/2019 - Administraçao publica irresponsavel geral inumeros problemas em Belford Roxo - Foto Reginaldo Pimenta / Agencia O Dia -
O Superior Tribunal Federal (STF) autorizou a volta ao cargo do prefeito de Belford Roxo, Wagner dos Santos Carneiro, o Waguinho (MDB). Ele estava afastado de da função no município da Baixada Fluminense desde o dia 30 de abril, durante operação da Polícia Civil e do Ministério Público.
Ele e outras 24 pessoas são suspeitos de desviarem cerca de R$ 14 milhões dos cofres da cidade. Segundo o MP, o esquema envolveria serviços de coleta, transporte e destinação de lixo urbano; pavimentação de vias públicas e
de locação de imóveis.
O processo corre no Tribunal de Justiça do Rio (TJRJ), que entendeu que o afastamento era “para se evitar a continuidade da prática de crimes relacionados”. Na liminar do STF, concedida na terça-feira, o ministro do
STF Dias Toffoli acatou o pedido da defesa de Waguinho, que alegou que a decisão de afastá-lo foi “monocrática, proferida antes do recebimento da denúncia”.
Procurada pelo DIA, a assessoria do prefeito disse que aguarda ser notificada
da liminar para que Waguinho volte ao cargo. O MP do Rio de Janeiro informou que “está avaliando a possibilidade de interposição de recurso e apenas se manifestará nos autos do processo”.
Antes mesmo da volta de Waguinho, a oposição já trabalha para afastá-lo. O vereador de oposição Cristiano Santos (PTB) denuncia que, enquanto servidores ainda estão com salários da folha de 2016 atrasados, Waguinho recebeu um acréscimo em seu salário de R$ 69 mil líquidos. Isso, além do salário de R$ 8 mil mensais - limite estabelecido como teto do salário do prefeito, por
lei municipal aprovada em 2018. O secretário de Administração, Christian Vieira da Silva, também teria recebido R$ 72 mil, além do salário de cerca de R$ 6 mil.
Santos fez denúncia ao MP e vai propor a abertura de uma Comissão Parlamentar
de Inquérito (CPI).
A Prefeitura de Belford Roxo informou que a verba recebida pelo prefeito afastado “refere-se à diferença de subsídios recebidos de fevereiro de 2017 a janeiro de 2019, uma vez que vinham sendo pagos a menos. Os pareceres jurídico e fi nanceiro foram favoráveis e o pagamento foi parcelado. Já o valor pago ao secretário de Administração, Christian Vieira, faz parte das verbas rescisórias ou indenizatórias”.

Servidores com salários atrasados
Em Belford Roxo, os servidores que atuam na Educação e Saúde ainda esperam receber salários, 13º salário e férias de 2016. O mesmo acontece com servidores e pensionistas. Não há data para o pagamento dos vencimentos.
No Hospital do Joca, por falta de pagamento, faltam médicos e enfermeiros. Ontem, apenas um médico — da sala vermelha — atendia. A prefeitura informou que devido à situação jurídica e eleitoral do município houve atraso no repasse à OS responsável pelos pagamentos dos salários e que apenas dois clínicos estão atendendo.

Comentários