Carro avança e atropela manifestantes no Centro de Niterói

Segundo a Associação de Docentes da UFF, duas professoras e três estudante ficaram feridos. Bombeiros socorreram uma mulher que foi levada para o Hospital Estadual Azevedo Lima

Por Ana Mello*

Carro avança contra manifestantes e deixa cinco feridos em Niterói
Carro avança contra manifestantes e deixa cinco feridos em Niterói -
Rio - Um carro em alta velocidade atropelou pelo menos cinco manifestantes na Avenida Marquês do Paraná, no Centro de Niterói, durante um protesto contra a reforma da Previdência e os cortes na educação pública, nesta sexta-feira. De acordo com o Corpo de Bombeiros, uma mulher ferida foi socorrida pela corporação, por volta das 7h04.
Segundo a Associação de Docentes da UFF (Aduff), dentre os feridos estão duas professoras e três estudante, que tiveram escoriações leves. Os bombeiros informaram que Kate L. Costa, de 35 anos, foi levada para o Hospital Estadual Azevedo Lima (Heal), no bairro Fonseca. Até o momento, não há informações sobre o estado de saúde da vítima.
Desde o início da manhã centenas de pessoas estão aglomeradas na Avenida Marquês do Paraná, que chegou a ser interditada próximo ao Hospital Universitário Antônio Pedro. Um vídeo publicado nas redes sociais mostra o momento do atropelamento e é possível ver os manifestantes sendo atingidos pelo carro.

Galeria de Fotos

Uma das vítimas do atropelamento foi socorrida pelos Bombeiros e encaminhada para o Hospital Estadual Azevedo Lima Reprodução/Sintuff
Carro avança contra manifestantes e deixa pelo menos três feridos Samuel Tosta/Aduff
Carro avança contra manifestantes e deixa pelo menos três feridos Samuel Tosta/Aduff
Carro avança contra manifestantes e deixa pelo menos três feridos Samuel Tosta/Aduff
Carro avança contra manifestantes e deixa pelo menos três feridos Samuel Tosta/Aduff
Um carro vermelho avançou contra os manifestantes e atingiu ao menos três pessoas Reprodução/Twitter
A professora e diretora da Associação dos Docentes da UFF (Aduff), Bianca Novaes, disse ao DIA que presenciou toda a confusão. Segundo a docente, a via tinha acabado de ser fechada e o objetivo era liberar parte da pista, mas o motorista não queria aguardar.
"Ele ficou exaltado e uma pessoa falava para esperar um pouco. Do nada, ele lançou o carro contra várias pessoas. Uma professora foi praticamente pisada pelo pneu do carro."
Para Bianca, o sentimento é de tristeza. "Horrível ver um ato bárbaro desse. Você não concordar com o outro não te dá o direito de atentar contra a vida dele. Poderia ter matado pessoas. Uma das professoras bateu com a cabeça", lamentou.
A Aduff e o Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes-SN) emitiram uma nota de repúdio nas redes sociais. 
"É inaceitável ações violentas como o atropelamento ocorrido na manhã desta sexta-fera (14), em Niterói, durante manifestação pacífica, na qual, o que se defende é o direito à vida com dignidade, com direito à Previdência e à educação", dizia parte da nota.
No texto, a professora da UFF e secretária-geral do Andes-SN, Eblin Farage, destacou a importância do movimento. "Essa greve geral é o segundo grande momento das mobilizações contra a reforma da Previdência, depois das mobilizações de maio. É necessário que as pessoas entendam [que esses atos] são em defesa da aposentadoria de todo mundo, inclusive de quem já se aposentou, porque se essa reforma passar ela vai tirar direitos também dos que já se aposentaram", ressaltou.
De acordo com postagem do Sindicato dos Trabalhadores da UFF (Sintuff) nas redes sociais, o homem já foi identificado e será processado.
Em nota, a Faculdade de Educação da UFF repudiou o crime. Leia a íntegra:

"A Faculdade de Educação da UFF, por meio da presente nota, manifesta seu repúdio e sua indignação diante do ato criminoso impetrado por um motorista que, dirigindo em alta velocidade, lançou-se em direção aos manifestantes que encontravam-se na manhã de 14/06, na Av. Marquês do Paraná - Niterói, em Ato Público pacífico e que tem como pauta a luta por direitos e dignidade cidadã.
Não bastasse a atitude de extrema intolerância, a ação criminosa deixou professores e estudantes da Universidade Federal Fluminense feridos e necessitando de atendimentos médicos de urgência.
O sentimento de indignação é grande e esperamos que os órgãos responsáveis apurem devidamente o ocorrido.
Não podemos admitir que ataques desse tipo venham impedir a liberdade de expressão dos cidadãos e repudiamos veementemente ações fascistas e deliberadas que colocam em risco a nossa democracia. Reforçarmos que a atitude do motorista constitui-se como crime, sujeito às penas que precisam ser impetradas.

Faculdade de Educação da UFF". 
Procurada, a Polícia Militar informou que não houve acionamento do 12º BPM (Niterói) para o local. A Polícia Civil disse que a ocorrência está em andamento na 76ª DP (Niterói) e que uma vítima é ouvida na unidade. Equipes buscam identificar o motorista.
Na confusão, parte dos vidros do veículo que invadiu a manifestação foi quebrado e, após o socorro, o protesto teve continuidade. A partir das 14h, uma nova concentração será feita em frente as barcas, na Praça Araribóia, em direção ao ato que acontece na Candelária, no Centro Rio.
*Estagiária sob supervisão de Adriano Araújo
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários