Motel Vip´s fecha as portas nesta segunda-feira

Prejudicado pelas interdições na Avenida Niemeyer, estabelecimento não resistiu ao prejuízo e agora encerra as atividades

Por O Dia

Interdição na Avenida Niemeyer ocorreu em 28 de maio após determinação da Justiça, pois havia risco de novos deslizamentos
Interdição na Avenida Niemeyer ocorreu em 28 de maio após determinação da Justiça, pois havia risco de novos deslizamentos -
Rio - São 40 anos de histórias que, pelo visto, vão ficar só nas memórias de clientes. Quem um dia já subiu a Avenida Niemeyer para realizar seus desejos no Motel Vip's, um dos mais conhecidos do Rio, recebe agora uma triste notícia. Este domingo, 23 de junho, é o último dia das atividades no espaço, que fechará as portas amanhã. O motivo? As sucessivas interdições da via pelas equipes da Prefeitura do Rio — devido a obras e a deslizamento durante as chuvas—, impossibilitando o acesso de pessoas ao local. 
A informação sobre o fechamento do estabelecimento foi antecipada pelo colunista do Globo, Ancelmo Gois, neste domingo, e confirmada ao DIA pela administradora e uma das donas do Vip´s, Anna Tereza Barros. Segundo ela, houve desrespeito e descaso do poder público. E, de fevereiro para cá, houve queda de 60% na ocupação do motel.
A prefeitura, porém, alega que o fechamento da via cumpre determinação da Justiça do Rio. O município chegou a recorrer da decisão para reabrir a Niemeyer, mas não conseguiu que a medida fosse autorizada.
Mas empresários da região criticam os bloqueios na Niemeyer desde 2014 (ainda na gestão de Eduardo Paes e, depois, pelo atual governo). Eles reclamam que a prefeitura fechava e abria a via sem comunicar aos estabelecimentos, prejudicando o comércio no local, e que essa atitude continua sendo adotada. 
Mas a gota d'água para Anna Tereza tomar a decisão derradeira foi o episódio da última sexta-feira, 20 de junho. "Recebi uma ligação de um cliente dizendo que foi barrado por um guarda municipal, onde tem a barreira do Vidigal. Ele falou que estava impedido o acesso ao Vip´s, e apontou o risco de acesso por carros. Mais uma vez, eu não sabia de nada. Fui para a barreira e, quando cheguei lá, liguei pra prefeitura, sendo que o que me causou mais estranheza é que as pessoas não sabiam (dessa proibição), os policiais da UPP também não sabiam", relatou.
A informação que ela recebeu por guardas que estavam naquele ponto da via é que a perícia (do município) detectou que ali era área de risco. "Mas engraçado que há risco então só para carros, né. Porque a Niemeyer virou área de lazer, com crianças jogando bola, andando de bicicleta...".
Anna Tereza disse ainda que nem mesmo a crise financeira foi capaz de fazer o estabelecimento fechar. "Crise a gente atravessa e uma hora melhora".
Ela lamentou ter que dispensar funcionários. "Meu avô (o empresário Ignácio Loyola) que construiu aquilo tudo há 40 anos. Sou da terceira geração que cuida do motel. E temos 60 funcionários, ou seja, 60 famílias que dependem de mim. Infelizmente, hoje (domingo) será nosso último dia de atividades", contou ela, que conversará com os empregados na terça-feira.  
 
Constrangimento
Anna Tereza citou ainda que clientes foram constrangidos diversas vezes, lembrando o que ocorreu na semana do Dia dos Namorados, quando guardas municipais só liberavam o acesso de veículos naquele trecho da Niemeyer se a pessoa os informasse que estava indo ao motel. "Imagina o constrangimento das pessoas em informar aos guardas? Tenho clientes que são conhecidos (famosos)".
Dificuldades
Representante da Associação Brasileira de Motéis no Rio e sócio do Shalimar, que fica na Avenida Niemeyer, Antônio Cerqueira avalia que, desde 2014, o comércio localizado na via vem sofrendo. Segundo ele, essas medidas tomadas pela prefeitura sem pensar em ações alternativas junto com os empresários da região agravou a crise dos motéis. 
Cerqueira não pensa em fechar o Shalimar, mas conta que se viu obrigado a reduzir os preços dos quartos. "Já estávamos mantendo os valores de dois anos atrás. E no início de 2019 chegamos a reduzir os preços", disse. 
Confira a nota da prefeitura na íntegra
A interdição da Avenida Niemeyer foi determinada pela 3ª Vara de Fazenda Pública, no processo n° 0124330-03.2019.8.19.0001. O dever da Prefeitura era cumprir essa determinação, o que foi feito. De acordo com a decisão judicial, o trânsito está interditado nos dois sentidos para circulação de veículos motorizados e não motorizados, preservados os acessos a moradores e pessoas por eles autorizadas.

A Guarda Municipal mantém seis agentes diariamente nos acessos à Avenida Niemeyer. Há bloqueios sinalizados com cones nos seguintes pontos:

_ Esquina das avenidas Delfim Moreira e Visconde de Albuquerque, no Leblon;
_ Avenida Niemeyer, no acesso ao Morro do Vidigal;
_ Avenida Niemeyer, na altura da Avenida Prefeito Mendes de Moraes, em São Conrado.

Em cumprimento à ordem judicial, os agentes fazem o bloqueio e controlam o acesso de veículos. A Prefeitura recorreu à Justiça para manter a via aberta, mas não foi atendida. 
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários