Estudante da Uerj é morta dentro de casa na Zona Oeste; família suspeita de namorado

Segundo amigos e familiares de Luiza do Nascimento Braga, de 25 anos, em postagem nas redes sociais, o namorado morava no local e é o principal suspeito do crime. A polícia o procura para prestar depoimento

Por O Dia

Luiza Nascimento Braga era estudante da Uerj e foi morta na Zona Oeste
Luiza Nascimento Braga era estudante da Uerj e foi morta na Zona Oeste -
Rio - Uma estudante de ciências sociais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) foi morta dentro de casa em Jacarepaguá, na Zona Oeste, no último sábado. Segundo amigos e familiares de Luíza do Nascimento Braga, de 25 anos, em postagem nas redes sociais, o namorado morava no local e é o principal suspeito do crime. 
Segundo a Delegacia de Homicídios da Capital (DH-Capital), um inquérito apura as circunstâncias e autoria do homicídio de Luíza Nascimento Braga. Uma perícia foi realizada no local e familiares foram ouvidos. Agentes da unidade realizam diligências para localizar testemunhas e câmeras de segurança que possam ajudar nas investigações. O ex-namorado é procurado pela polícia para prestar depoimento e a especializada não divulgou se ele é suspeito.
Luíza não estaria mais namorando com o suspeito do crime e teria ido ao local a pedido dele, para acompanhá-lo a um Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Depois disso, ela ficou incomunicável.
Segundo relatos de amigos e familiares nas redes sociais, o suspeito sumiu da casa depois do crime e apagou as redes sociais. Ele teria ligado para o proprietário do imóvel dizendo que ia viajar e levou todos seus pertences. Assim como a vítima, ele também estuda na Uerj e ambos eram líderes da militância da universidade. Ele é procurado pela DH para prestar depoimento.
Em uma postagem no Facebook, o Núcleo de Mulheres de Ciências Sociais da Uerj lamentou a morte de Luiza. "É com imenso pesar que comunicamos o falecimento da estudante de Ciências Sociais Luiza Braga. Estamos todas em choque e profundamente tristes com a notícia. Ainda não temos maiores informações sobre o ocorrido", diz o texto. O Centro Acadêmico de Ciências Sociais (CAcis) também publicou mensagem de pesar.
"Luiza era doce, sonhava e era livre acho que ela precisa ser lembrada com esse sorriso lindo e a nós fica o desejo de que a justiça seja feita e de que o #feminicídio pare de acontecer. Vá em paz flor.
Sua luz será lembrada", postou uma amiga.
"Luiza foi minha caloura. Fizemos uma matéria eletiva juntas. Não era minha amiga, mas era mulher, inteligente, forte! Era! Luiza hoje é estatística dessa crueldade que é o feminicídio! Morta supostamente pelo companheiro, tb estudante da UERJ que sumiu após o crime bárbaro. Meu coração dói cada vez que recebo essas notícias! (sic)", escreveu uma conhecida da vítima.
Além de estudar ciências sociais, Luiza também era fotógrafa e já colaborou na produção de três curtas metragens, tendo com paixões a fotografia e o cinema. "Na cidade encontro a ficção não ficcionalizada", escreveu em seu perfil em rede social. O corpo dela será enterrado às 14h30 no Cemitério de Inhaúma, na Zona Norte. Não haverá velório. 
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários