Flordelis: oito filhos serão ouvidos nesta sexta pela polícia

Investigadores foram até a casa da deputada, mas não levaram o carro do pastor

Por O Dia

Flodelis (D) recebe os investigadores em sua casa, em Pendotiba
Flodelis (D) recebe os investigadores em sua casa, em Pendotiba -

Rio - A Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSGI) vai ouvir nesta sexta-feira à tarde, a partir das 14h, oito filhos da deputada Flordelis (PSD-RJ) e de Anderson do Carmo no caso que investiga o assassinato do pastor. Segundo Maurício Eduardo Mayr, advogado de defesa do preso Flávio dos Santos, enteado da vítima, a situação dos detidos é 'insalubre' e 'inadequada'. Além de Flávio, Lucas dos Santos, filho adotivo do casal, que teria admitido envolvimento no crime, também está preso na especializada. Mayr afirma que eles estão detidos em salas de dois metros quadrados, sem luz e sem pia.

Ontem, a polícia esteve na casa da deputada, em Pendotiba, Niterói, para entregar as novas intimações de prestação de depoimento. Flordelis estava na residência quando os agentes chegaram com as viaturas. Na ação, os policiais tentaram levar o carro do pastor, que no dia do assassinato ficou com marcas de tiros, mas o advogado da deputada não permitiu, alegando que não havia um mandado de apreensão. O objetivo, de acordo com Mayr, seria adquirir a rota de GPS do veículo, informação que pode ser obtida sem que o carro seja apreendido, segundo ele.

À tarde, os advogados de Flávio pediram remédios numa farmácia para o cliente. Segundo os defensores, ele tem duas hérnias de disco e sente muitas dores.

Celular desaparecido

O celular do pastor Anderson continua desaparecido. Esta semana, a polícia descobriu que o telefone foi utilizado horas depois de sua morte. Pelo menos duas mensagens foram repassadas do aparelho. A deputada federal fez um apelo para que o celular seja devolvido.

Ontem, um dos filhos da deputada Flordelis e do pastor Anderson anunciou, em seu perfil no Facebook, que deixará o Ministério Flordelis, igreja fundada por seus pais. Luan Santos, filho adotivo do casal, postou uma mensagem dizendo não conseguir prosseguir na igreja "mediante o ocorrido com o nosso Pr. Presidente (Anderson)".

Em outro trecho, Luan agradece por tudo o que fizeram por ele: "Levarei comigo os ensinamentos e as boas lembranças, mas hoje um ciclo se finda para que outro se inicie. Peço a todos que orem para que a VERDADE apareça e que a JUSTIÇA seja feita, tanto do céu como da terra, e contudo, nunca se esqueçam que o nosso alvo é CRISTO".

O pastor Anderson foi assassinado na madrugada do dia 16 de junho, após chegar em casa, em Niterói, na Região Metropolitana do Rio.

 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários