Justiça determina o abastecimento do Hemorio

Uma multa diária de R$ 100 será cobrada caso haja o descumprimento da sentença

Por O Dia

Fachada do Hemorio
Fachada do Hemorio -
Rio - Uma decisão da 14ª Vara de Fazenda Pública determinou que o governo do estado faça o abastecimento regular de medicamentos básicos, quimioterápicos, de leucemia e de demais doenças para o Hemorio. A ação foi ajuizada pelo Sindicato dos Médicos do Rio de Janeiro (Sinmed). Além de remédios, a decisão obriga o estado a fornecer insumos e produtos médico-hospitalares. 
De acordo com a Defensoria Pública, a decisão foi feita pelo juiz Marcelo Martins Evaristo da Costa, em 17 de junho. Marcelo, em seu texto, chama atenção para o fato de que a manutenção do abastecimento do Hemorio "depende diretamente da vontade dos agentes políticos". Ele ainda diz que fixou pena de multa diária de R$ 100 a ser cobrada do governador Wilson Witzel, do secretário estadual de saúde e do presidente da Fundação Saúde em caso de descumprimento da sentença.
A Defensoria Pública ressaltou ainda que a manutenção do hemocentro já havia sido exigida anteriormente, mas não foi cumprida e que agora a penalidade da multa foi direcionada na sentença aos agentes políticos.
Além de remédios, a decisão também obriga o estado a fornecer insumos e produtos médico-hospitalares ao Hemorio, que é o único centro de hemoterapia em território fluminense. Atualmente, o hemocentro atende 200 unidades de saúde da rede estadual e acompanha 1300 pacientes com hemofilia e outros 4200 com anemia falciforme.
Em nota, o governo diz que a primeira ação foi movida em 2016, durante o pior período de crise política e financeira do estado no governo anterior e que entrará com pedido de embargo da decisão, já que o abastecimento atual do Hemorio está normalizado.

Comentários