Uma tonelada de peixes mortos é recolhida na Lagoa da Tijuca

Segundo biólogo Mario Moscatelli, responsável pela coleta, espécies foram prejudicadas pelo esgoto lançado na região

Por *Luana Dandara

Peixes mortos foram recolhidos
Peixes mortos foram recolhidos -
Rio - O biólogo Mario Moscatelli recolheu, neste domingo, cerca de 1 tonelada de peixes mortos na Lagoa da Tijuca, na Zona Oeste da cidade. Segundo ele, as espécies, a maioria tilápias, foram prejudicas pelo lançamento de esgoto na água. 
"A ressaca no mar desde quarta-feira remexeu o fundo da lagoa e houve a liberação de gás sulfídrico e metano, duas substâncias presentes no esgoto, lançado em grande intensidade na água. Essa região, infelizmente, é uma grande latrina", explicou o biólogo. "Os peixes continuam chegando na margem da lagoa já em decomposição, ainda tem muitos boiando no meio da lagoa e nas demais margens", acrescentou.
Moscatelli calcula que em toda a lagoa devem ter de 3 a 4 toneladas de peixes mortos. "Só fizemos a vistoria em uma das margens. E identificamos, pelo menos, dois pontos de lançamento de esgoto, vindo da rede de água pluvial". O biólogo encaminhou ainda as fotos e vídeos do local para o secretário municipal de Meio Ambiente Marcelo Queiroz e para a Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente, como forma de denúncia.
Biólogo identificou dois pontos de lançamento de esgoto na região do Saco Grande, como mostra foto tirada por ele neste domingo - Divulgação/Mario Moscatelli
"O lançamento de esgoto nessa região não é uma novidade, muito menos a liberação desses gases durante as ressacas marítimas. Novidade vai ser quando os delinquentes ambientais responsáveis por isso forem denunciados e punidos", cobrou o biólogo. 
 

Galeria de Fotos

Peixes mortos foram recolhidos Mario Moscatelli/Divulgação
Biólogo identificou dois pontos de lançamento de esgoto na região do Saco Grande, como mostra foto tirada por ele neste domingo Divulgação/Mario Moscatelli

Comentários