Casas de moradores são arrombadas e revistadas no Morro do Timbau, na Maré

Unidades do Comando de Operações Especiais (COE) realizam uma 'ação emergencial' desde o início da tarde nas favelas do complexo com o Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) e Grupamento Aeromóvel (GAM)

Por Beatriz Perez

Blindado em rua da Maré, durante ação no dia 19 de julho
Blindado em rua da Maré, durante ação no dia 19 de julho -
Rio - Moradores do Morro do Timbau, no Complexo da Maré, Zona Norte do Rio, relatam que os policiais estão arrombando e revistando as casas da região. Unidades do Comando de Operações Especiais (COE) realizam uma 'ação emergencial' desde o início da tarde nas favelas do complexo com o Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) e Grupamento Aeromóvel (GAM).
A Polícia Militar iniciou a ação no local para apurar denúncias de que um policial militar foi sequestrado no início da tarde. O militar foi encontrado ileso e encaminhado à 21ª DP (Bonsucesso). Segundo, informações do 22º BPM, o militar sequestrado estaria fazendo a escolta do caminhão roubado. O caso foi registrado como roubo de veículo com carga. 
Uma moradora do Morro do Timbau, que prefere não se identificar, diz que policiais arrombaram sua casa, onde mora com a mãe, que se recupera de uma operação e a da tia, que mora no andar de cima. A tia não estava em casa.
"Entraram, acenderam as luzes revistaram tudo e beberam água. Depois, arrombaram a nossa casa, mas minha mãe apareceu e os policiais pararam. Eles perguntaram quem estava. Respondi que estava com minha mãe operada e eles foram embora", diz.
Outro morador da Maré conta que ele e sua ex-mulher tiveram as casas revistadas, também no Morro do Timbau. No seu caso, os agentes pediram autorização, mas na casa da ex-companheira a casa foi invadida por cães farejadores e os agentes pediram para que os presentes ficassem trancados em um quarto enquanto faziam a revista.
"Entraram na casa da minha ex. O cachorro entrou primeiro, o que gerou uma discussão entre o atual namorado dela e o policial. Porque o meu filho de cinco anos e o filho deles que ainda não fez nem um ano estavam brincando no chão e ficaram assustados com os cães. Eles mandaram os quatro ficarem trancados no quarto enquanto vasculhavam a casa", relata. 
Por meio de sua assessoria, a Polícia Militar informa que a revista deve ser feita quando o morador autoriza ou em caso de flagrante, como quando um criminoso é flagrado invadindo a residência. A Polícia Militar reforça que pune com o máximo rigor qualquer desvio de conduta em seus quadros. Já a Defensoria Pública do Estado do Rio afirma que é necessário mandado de busca para ingressar nas casas.
A Corregedoria da Polícia Militar pede que denúncias de ações ilícitas envolvendo policiais militares sejam encaminhadas pelo WhatsApp através do número (21) 97598-4593; pelo telefone (21) 2725-9098 ou pelo e-mail denuncia@cintpm.rj.gov.br. O anonimato é garantindo.
A Polícia Civil informou que o caso foi registrado como roubo de veículo com carga na 21ª DP. Diligências estão sendo feitas em busca de testemunhas e imagens que possam ajudar a esclarecer o fato. As investigações estão em andamento.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários