Marcelo Piloto vira réu por homicídio no Paraguai

Narcotraficante matou a jovem Lídia Meza Burgos com 53 facadas

Por O Dia

Marcelo Piloto
Marcelo Piloto -
Rio - O narcotraficante Marcelo Fernando Pinheiro da Veiga, conhecido como Marcelo Piloto, virou réu e teve mais uma prisão preventiva decretada, na última sexta-feira, pela Justiça Federal. A denúncia feita pelo Ministério Público Federal (MPF) do Rio é pela morte de Lídia Meza Burgos, de 18 anos, em novembro de 2018, no Paraguai. 
O traficante brasileiro estava detido no Paraguai desde 13 de dezembro de 2017. Ele foi expulso do país por decisão do presidente do Paraguai, Mario Abdo Benitez, depois de matar a jovem com 53 facadas durante uma visita íntima no presídio. Piloto foi transferido para a penitenciária federal de segurança máxima de Catanduvas, no Paraná. Apesar da articulação, o plano não deu certo. Um dia depois do crime, ele foi expulso do país. 
O crime, de acordo com o MPF, foi praticado por meio cruel e motivo fútil, no intuito de assegurar a impunidade dos crimes praticados no Brasil.

Comentários