Beleza é não ter preconceito: Rio sedia o Miss Beleza Trans

Representante do estado vem do Jardim Catarina, São Gonçalo

Por Samara Azevedo*

Rio,30/10/2019 -LAPA-Concurso de Beleza Miss Trans Brasil , Pontos Turisticos do Rio.Na foto, Eloa Rodrigues, Miss Beleza Trans Rio de Janeiro .Foto: Cléber Mendes/Agência O Dia
Rio,30/10/2019 -LAPA-Concurso de Beleza Miss Trans Brasil , Pontos Turisticos do Rio.Na foto, Eloa Rodrigues, Miss Beleza Trans Rio de Janeiro .Foto: Cléber Mendes/Agência O Dia -

As frases ao lado, que parecem avulsas, mostram os ideais de uma população que pretende se fazer visível e que hoje, às 19h, estará representada na primeira edição do Miss Beleza Trans Brasil, na casa de espetáculos Scala Rio. Serão 24 mulheres transgêneras concorrendo ao título inédito.

Eloá Rodrigues, de 26 anos, Miss Trans Rio de Janeiro, está na expectativa do concurso e destaca a importância de ser uma pessoa que busca projetar a fala e existência das minorias. "Estou com uma expectativa muito grande para o resultado, mas também lido com isso de uma forma tranquila. Se o título vier, ele reforça toda minha trajetória, e meu sonho é que isso aconteça para nossa existência ser cada vez mais naturalizada. Se não vier, meu trabalho continuará sendo feito", avala.

Nascida e criada no Jardim Catarina, no município de São Gonçalo, Eloá custou a conseguir o nome social. Ela pediu a retificação nos documentos em 2014 e só conseguiu em 2018. Foram tempos de constrangimentos e preconceito de quem tentava deslegitimar sua identidade como mulher. "Era sempre um momento de tensão por não saber como as pessoas iriam me tratar. Hoje, é muito mais tranquilo. Eu renasci", vibra a candidata, que já brilha como musa da escola de samba Garra de Ouro, de Niterói.

*Estagiária sob supervisão de Bete Nogueira 

Jurados vão avaliar além da beleza

A vencedora será credenciada para representar o país no exterior, no Miss Internacional Queen, na Tailândia, que acontecerá no primeiro semestre de 2020.

Além disso, a beldade coroada vai assinar um contrato, com um ano de duração, como modelo da TGW Fashion - Moda Trans, além de uma cirurgia de feminização facial na Transgender Center Brasil.

Para a segunda colocada no concurso, a premiação será uma mamoplastia - procedimento de colocação de mama - e roupas de banho.

Para a noite de hoje, estão programados dois desfiles das concorrentes: um em traje de gala e outro, em traje de banho.

Os jurados vão avaliar, além da beleza, a confiança e segurança das candidatas, presença de palco e simpatia.

O que todas as candidatas esperam é mudar as estatísticas

O evento conta com uma estreante em concursos: Andrelle Balduíno, moradora de Cravinhos, São Paulo. "Estou ansiosa para viver tudo isso e sentir essa experiência, que começa dias antes com o confinamento. Foram meses de ensaio e autoconhecimento, porque é importante a gente saber o que pode funcionar ou não. Hoje, conheço meus limites e habilidades e o objetivo é colocar em evidência os pontos fortes", declarou.

Em comum, as candidatas estão na expectativa de que o público prestigie o concurso não apenas pelo evento em si, mas de como isso pode mudar a realidade de toda a comunidade. Afinal, quando se pesquisa na internet "País que mais mata LGBT", o Brasil ganha um triste destaque. Segundo o relatório do Grupo Gay da Bahia (GGB), o Brasil registrou 141 mortes num levantamento parcial de janeiro a 15 de maio deste ano, sendo 126 homicídios e 15 suicídios.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários