Mototaxista vira profissão legalizada no Rio

Decreto assinado pelo prefeito Marcelo Crivella deverá beneficiar cerca de 100 mil profissionais

Por Larissa Esposito*

Mototaxistas e passageiros comemoraram a regulamentação
Mototaxistas e passageiros comemoraram a regulamentação -

Rio - Agora é oficial: a categoria de mototaxistas foi regulamentada. O decreto foi assinado ontem pelo prefeito Marcelo Crivella e terá validade a partir de 90 dias após a publicação no Diário Oficial. Segundo estimativa do Sindicato dos Taxistas do Rio de Janeiro, serão pelo menos 100 mil profissionais beneficiados na cidade. Para prestar o serviço, no entanto, os interessados deverão atender a alguns requisitos.

Entre as obrigações, os mototaxistas devem ter completado 21 anos até a data de requerimento de inscrição na profissão, ter CNH na categoria A por pelo menos dois anos com a inscrição 'Mototaxista' e estar aprovado no exame de curso profissionalizante, além de ter seguro de responsabilidade civil no valor de R$ 5 mil. Os profissionais também devem se inscrever no sistema da Secretaria Municipal de Transportes (SMTR).

A regulamentação foi recebida com entusiamo por mototaxistas e passageiros. Alguns, no entanto, comemoram com ressalvas. É o caso do mototaxista Anderson Antunes, de 35 anos. Apesar de ser a favor da medida, ele espera que a profissionalização não seja burocrática. "Acho que o empecilho vai ser entrar em contato com a SMTR, devido à burocracia. Fora isso, tem que fazer mesmo", disse.

Já para o mototaxista Marcos Vinicius Souza, de 32 anos, o decreto chega em boa hora. "Muitas pessoas generalizam o mototáxi. Então, regularizar vai ser bom, porque vai passar uma visão diferente da profissão", afirmou.

A farmacêutica Mônica Bernardes, 38 anos, disse que deverá recorrer mais ao serviço, devido ao seguro obrigatório. "Só uso quando não tem outra opção, porque tenho medo. Tendo o seguro, vou botar na mão de Deus e vou assim mesmo", brincou.

 

Ponto licenciado teve placa retirada sem aviso prévio

Nem todos os mototaxistas comemoraram o decreto. Segundo os profissionais do ponto na Praça Cruz Vermelha, no Centro, na madrugada de terça-feira, a placa que sinalizava o funcionamento do mototáxi foi retirada sem aviso prévio.

O presidente da Associação de Mototaxista da Cidade do Rio, Francisco Ivanio, afirmou que ainda não foi informada uma data para que sejam realocados. "A gente tem CNPJ, tem associação, tudo direitinho e registrado no Diário Oficial", reclamou.

Procurada ontem pela reportagem de O DIA, a CET-RIO informou que o motivo da transferência se refere à "impossibilidade de manter estacionamentos ao longo do corredor exclusivo dos ônibus, por questões de segurança".

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários