Vítima de violência doméstica ajuda outras mulheres que sofrem com crime

Segundo o ISP, quatro mulheres são agredidas por dia no Rio de Janeiro

Por Thuany Dossares e Waleska Borges

Rosana Louzada ministra palestras sobre violência doméstica e relacionamento abusivo
Rosana Louzada ministra palestras sobre violência doméstica e relacionamento abusivo -

Rio - Nunca mais. Esse é o projeto que a professora Rosana Louzada Silva, de 37 anos, criou para ajudar mulheres que sofreram violência doméstica. Vítima de constantes agressões de seu ex-companheiro, que foi preso em fevereiro, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, agora ela é mais uma ativista da campanha internacional dos 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra mulher, que começa hoje.

Segundo o Dossiê Mulher de 2019, feito pelo Instituto de Segurança Pública (ISP) do Rio, quatro mulheres são vítimas de lesão corporal dolosa por dia. O estudo apontou ainda que a cada 24 horas, quatro mulheres são ameaçadas e, pelo menos uma, sofre importunação ofensiva ao pudor.

O nome do projeto foi dado porque essa foi a frase que ela falou para seu primeiro marido, após ele ser tirado de casa pela polícia por agredi-la. Um ano depois, já no segundo relacionamento, ela voltou a sofrer violência doméstica de seu segundo companheiro e, em fevereiro, reafirmou "Nunca mais" com ainda mais certeza.

"Sinto que preciso ajudar outras mulheres que passam por isso. Eu vejo a importância do que faço, quando tenho recebo o retorno delas, quando só eu entendia o que elas estavam passando, o que estavam sentindo. Eu não julgo a saudade que sentem dos ex que a agrediam, eu digo só que não pode voltar. A dependência emocional tem o mesmo efeito de outras dependências, a gente tem abstinência, precisa de tratamento, de apoio", disse Rosana.

Livro em quadrinhos conta história de violência doméstica

Um suspense gráfico, que trata de violência doméstica e feminicídio, e tem como protagonista uma enfermeira que luta por justiça. Esse é o tema do livro 'A Filha da Mãe', da jornalista e escritora Tinda Costa, que será lançado hoje pela editora Itmix na livraria Argumento.
 
Com projeto gráfico e ilustrações de Alexandre Magalhães, 'A Filha da Mãe' é a história da enfermeira Cleo, trabalhadora incansável e mãe zelosa. Uma feminista que luta pela igualdade de direitos e ajuda mulheres abusadas. "É uma personagem forte que vai conquistar as mulheres e os homens a partir da identificação com sua trajetória", conta Tinda Costa.
 
Segundo a escritora, a expectativa é que homens e mulheres reflitam e se unam em um amplo debate sobre formas de enfrentar e acabar com esses abusos no ambiente familiar.

 

Livro em quadrinhos conta história de violência doméstica

Tinda Costa e Alexandre Magalhães assinam 'A filha da mãe' - Divulgação
Um suspense gráfico, que trata de violência doméstica e feminicídio, e tem como protagonista uma enfermeira que luta por justiça. Esse é o tema do livro A Filha da Mãe, da jornalista e escritora Tinda Costa, que será lançado hoje pela editora Itmix na livraria Argumento.

Com projeto gráfico e ilustrações de Alexandre Magalhães, a Filha da Mãe é a história de Cleo, uma enfermeira, trabalhadora incansável e mãe zelosa. Uma feminista que luta pela igualdade de direitos e ajuda mulheres abusadas.

"É uma personagem forte que vai conquistar as mulheres e os homens a partir da identificação com sua trajetória", conta Tinda Costa.

Segundo a escritora, a expectativa é que homens e mulheres reflitam e se unam em um amplo debate sobre formas de enfrentar e acabar com esses abusos.

Galeria de Fotos

Rosana Louzada ministra palestras sobre violência doméstica e relacionamento abusivo Divulgação
Tinda Costa e Alexandre Magalhães assinam 'A filha da mãe' Divulgação

Comentários