Concurso para Cremerj apresenta ilegalidades e elimina candidatos que seriam os primeiros colocados

Candidatos apresentaram manifestação ao Ministério Público Federal e entraram em contato com a presidência da entidade

Por O Dia

Cremerj
Cremerj -
Rio - Um grupo de candidatos do concurso para cargos no Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj) apresentou, nesta terça-feira, uma manifestação ao Ministério Público Federal contra o Instituto de Desenvolvimento Institucional Brasileiro (IDIB), por falta de transparência e critérios em relação ao gabarito oficial. A prova, aplicada no dia 20 de outubro, ofereceu oportunidades para diversas profissões, entre elas advogado, analista de TI, contador, jornalista, médico, entre outras. A polêmica começou um mês após a aplicação do exame, quando a banca não apresentou motivos para não alterar o gabarito oficial de uma questão de Raciocínio Lógico que continha erro e, assim, eliminou dezenas de candidatos que seriam os primeiros colocados.
Os candidatos afirmam terem embasado o pedido com citações de bibliografias e autores consagrados. No entanto, a resposta da banca limitou-se a repetir a questão e indeferir todos os recursos, sem explicar as razões. O caso ganhou repercussão nas redes sociais, onde alguns professores mostraram que se tratava de uma questão simples para a qual não haveria dúvida sobre a necessidade de alteração da resposta. 
Segundo os critérios de aprovação, o candidato precisaria acertar pelos menos três questões entre as cinco da disciplina de Raciocínio Lógico para se classificar. Com o indeferimento dos pedidos de revisão de gabarito errado, muitos candidatos que seriam os primeiros colocados para diversos cargos foram eliminados por terem acertado apenas duas questões, quando na verdade acertaram as três necessárias. Assim, o erro da banca favoreceu candidatos que tiveram rendimento total na prova de cerca de 70% em detrimento de outros que tiveram o rendimento de 90%.
Aqueles que foram prejudicados formaram uma comissão e já acionaram o IDIB, o Cremerj e o Ministério Público Federal. Os aspectos a serem investigados são a falta de transparência e de motivação dos atos da banca, requisitos indispensáveis quando se lida com a Administração Pública. O esclarecimento da questão ajudará também a eliminar dúvidas em relação à impessoalidade dos gabaritos e critérios adotados sem explicação alguma.
O Presidente do Cremerj, Sylvio Provenzano, pronunciou-se na mídias sociais sobre a banca IDIB. O médico afirmou que exigirá explicações da organizadora do concurso.

Comentários