Marcelo Piloto é condenado a 5 anos de prisão por invadir delegacia e resgatar traficante

Crime aconteceu em julho de 2012 no Engenho Novo

Por O Dia

Marcelo Piloto
Marcelo Piloto -
Rio - Marcelo Fernando Pinheiro Veiga, o Marcelo Piloto, foi condenado a cinco anos de prisão por invadir uma delegacia na Zona Norte do Rio e resgatar um comparsa que havia sido detido em 2012. A decisão é assinado pelo juiz do Marcelo Oliveira da Silva, da 16ª Vara Criminal.
No dia 3 de julho de 2012, 16 homens armados invadiram a 25ª DP (Engenho Novo) e resgataram Diogo de Souza Feitoza, o DG. O narcotraficante seria um dos integrantes do grupo criminoso. A polícia não conseguiu recapturar DG, que foi morto um ano depois, durante uma operação do Batalhão de Operações Especiais, no Caju, na Zona Norte. 
Piloto cumpre pena no presídio federal de Porto Velho, em Rondônia. Ele foi preso em 2017 no Paraguai durante uma operação da Secretaria de Estado de Segurança do Rio (Seseg), em conjunto com a Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai (Senad), a Polícia Federal brasileira, a Polícia Nacional do Paraguai e a Agência Antidrogas Americana (DEA).
No ano passado, o narcotraficante foi expulso do Paraguai depois de matar a jovem com 53 facadas durante uma visita íntima no presídio. Piloto foi transferido para a penitenciária federal de segurança máxima de Catanduvas, no Paraná. Apesar da articulação, o plano não deu certo. Um dia depois do crime, ele foi expulso do país.
O assassinato, de acordo com o Ministério Público Federal (MPF), foi praticado por meio cruel e motivo fútil, no intuito de assegurar a impunidade dos crimes praticados no Brasil.


Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários