Fiéis agradecem e oram por milagres em Benção dos Capuchinhos

São esperadas cerca de 50 mil pessoas durante as 15 missas desta sexta-feira na igreja

Por Waleska Borges

Ângela Maria levou o neto para agradecer gravidez da filha
Ângela Maria levou o neto para agradecer gravidez da filha -
Rio - Acompanhada do neto Leandro de Lima, de um ano e nove meses, a dona de casa Angela Maria da Silva, de 65, estava grata pela benção recebida. Foi ali na Basílica de São Sebastião, na Tijuca, Zona Norte do Rio, durante a benção dos Capuchinhos, que Maria pediu para sua filha, de 43 anos, engravidasse. Depois de 11 anos de tentativa, Maria conseguiu a benção no mesmo ano do pedido.

"Me ajoelhei no altar para fazer o pedido. Hoje, trouxe meu neto aqui para demonstrar a minha gratidão", contou, emocionada, a dona de casa.

Muitas pessoas foram à igreja também para agradecer, entre elas, a aposentada Maria Ferreira, de 65. Ela conta que chegou ao Rio quando tinha 16 anos e, que antes disso, ia à Basílica de São Sebastião, no Ceará, acompanhada da sua mãe. No Rio, criou seus quatro filhos na mesma tradição.

"Moro em uma comunidade. Venho sempre pedir por paz e pela segurança dos meus filhos e netos, mas também tenho muito a agradecer" lembrou Maria.

O Frei Anderson Teodoro Aguiar fez a missa das 10h, que foi acompanhada por cerca de 3 mil fiéis. Segundo ele, muitos dos fiéis vão ao local buscar pela água benta. Também são levadas fotos de enfermos, de familiares dos devotos, que também rezam pelos falecidos.

"Essa é a primeira benção do ano, onde a pessoa vem pedir a proteção de Deus para que seu ano de 2020 seja abençoado com muita paz e saúde. Muitas pessoas vêm procurar a confissão para que possa passar o ano para que possa se restabelecer com Deus e sua família.

Nesta sexta-feira, cerca de 20 freis se revezam em 15 missas, entre 5h e 19h. São esperadas cerca de 50 mil pessoas durante todo o dia na igreja.

Oportunidade de ganhar dinheiro

Na porta da Basílica de São Sebastião, muitos ambulantes aproveitam a data para ganhar um dinheiro extra. O motorista Bruno Carvalho, de 39 anos, disse que desde os 07 anos vende produtos religiosos na porta da igreja no dia da tradicional benção dos Capuchinhos. Ele veio com a família de Belford, na Baixada Fluminense, e chegou ao local às 4h.

"Sou devoto de São Sebastião. Meu irmão tinha o corpo coberto de feridas quando minha mãe cortou o cabelo dele e colocou nos pés da imagem de São Sebastião. Ele ficou curado. Foi um milagre."

Já Selma Lúcia Ferreira, de 52 anos, que chegou ao local no dia anterior às 23h para marcar o seu lugar, reclamava que as vendas não estavam satisfatória.

"São quase 10h e não vendi nem R$10,00. Mas, tenho fé que vai melhorar durante o dia", comentou.

A tradicional benção dos capuchinhos, também conhecida como "benção dos barbadinhos", ocorre toda primeira sexta-feira de cada mês. Ela, assim como a procissão de São Sebastião, o dia 20 de janeiro, é considerada patrimônio cultural carioca.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários