Cor turva: risco à saúde - Reprodução/Redes Socias
Cor turva: risco à saúdeReprodução/Redes Socias
Por O Dia
Publicado 07/01/2020 20:25 | Atualizado 07/01/2020 20:25
Rio - A Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio (Cedae) informou, na noite desta terça-feira, que técnicos detectaram a presença da substância Geosmina em amostras da água. De acordo com a companhia, trata-se de uma substância orgânica produzida por algas e não representa nenhum risco à saúde dos consumidores. Desta forma, a água fornecida pode ser consumida pela população.
Desde a última semana, ao abrirem a torneira, moradores se depararam com água barrenta, outros com água escura ou amarelada. O problema é enfrentado em pelo menos outros dez bairros cariocas. A equipe de O DIA percorreu a cidade, nesta segunda-feira, e constatou que o problema atinge, sobretudo, Campo Grande, Ricardo de Albuquerque, Deodoro, Santa Cruz, Pedra de Guaratiba, Jacarepaguá, Costa Barros, Anchieta, Paciência, Piedade e Brás de Pina. Juntos, os bairros somam 1,1 milhão de moradores, segundo o IBGE de 2010.
Publicidade
"A substância não oferece riscos à saúde, mas altera o gosto e o cheiro da água. O fenômeno natural e raro de aumento de algas em mananciais, em função de variações de temperatura, luminosidade e índice pluviométrico, causa o aumento da presença deste composto orgânico, levando a água a apresentar "gosto e cheiro de terra", diz o comunicado.
Ainda segundo a companhia, casos semelhantes ocorreram no Rio de Janeiro 18 anos atrás; em São Paulo, em 2008, e em municípios dos estados da Paraíba e do Rio Grande do Sul em 2018.
Publicidade
"Cabe informar que as amostras já analisadas na tarde desta terça-feira (07) na Estação de Tratamento do Guandu não apresentaram alteração quanto ao cheiro e ao gosto, estando dentro dos padrões. Ao longo do sistema, porém, a água ainda pode apresentar gosto e cheiro alterados em alguns locais. Por isto, a Cedae continuará monitorando todo o sistema de abastecimento ao longo da semana", finalizou a nota.
Nesta terça-feira, a Subsecretaria de Vigilância Sanitária e Controle de Zoonoses do Rio inspecionou 12 pontos nos bairros de Paciência, Campo Grande, Santa Cruz, Olaria, Brás de Pina e Ramos a qualidade da água distribuída pela Cedae para os consumidores, após as reclamações de que ela tem chegado na torneira barrenta e com mau cheiro.
Publicidade