Idosa tem braço cortado por funcionário que tirava gesso no Hospital Rocha Faria

Alda Waltz Lisboa precisou levar 18 pontos por conta do corte. O profissional foi afastado de suas funções e o caso é investigado pela unidade de saúde

Por Jenifer Alves*

Idosa teve o braço cortado por funcionário do Rocha Faria quando retirava gesso
Idosa teve o braço cortado por funcionário do Rocha Faria quando retirava gesso -
Rio - Uma idosa de 93 anos teve o braço cortado por uma tesoura quando um técnico retirava o gesso do membro no Hospital Municipal Rocha Faria, em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio. Alda Waltz Lisboa precisou levar 18 pontos por conta do corte. O profissional foi afastado de suas funções e o caso é investigado pela unidade de saúde.
As imagens do machucado provocado pelo funcionário, responsável pela imobilização de pacientes fraturados, chocam. Um enorme corte foi feito desde a mão da idosa e pegou todo o antebraço. O machucado tem aproximadamente 20 centímetros. 
Ully Waltz, de 19 anos, sobrinha-neta da idosa e que a acompanhava junto com uma prima, diz que Alda chegou a alertar o profissional sobre ter a pele cortada: "Ela disse que ele estava a machucando, ele respondeu que era impossível já que a tesoura que ele usava não tinha ponta e continuou enquanto ela chorava", explicou.
Depois de ter o gesso retirado, o profissional chegou a dizer que a pele da idosa era flácida e por isso foi atingida pela tesoura, contou Ully: "Ele disse que o ferimento era superficial, começou a limpar e chamou um enfermeiro para fazer o curativo, foi quando um médico foi acionado e avisou que só aquilo não era suficiente", finalizou.
A direção do Hospital Municipal Rocha Faria disse que lamenta o que aconteceu com Alda e abriu uma investigação interna para apurar a conduta do profissional, que foi afastado de suas funções. Além disso, um enfermeiro e um assistente social foram disponibilizados pra acompanhar a recuperação da idosa.
"A unidade não tem compromisso com o erro, nossa obrigação é prestar o melhor atendimento, ouvindo sempre o paciente. A direção pede desculpas à Sra. Alda e à sua família e já ofereceu toda assistência e apoio diante de um acidente lamentável como esse. Uma enfermeira e uma assistente social foram à casa da paciente nesta quinta-feira para realizar a troca do curativo e apoio para a família", disse a direção do hospital.
"O coordenador de enfermagem também esteve com os familiares para pedir desculpas pessoalmente em nome da direção do hospital. As visitas serão diárias até que ela se recupere. Os próprios familiares usaram suas redes sociais para informar que toda a assistência está sendo prestada", concluiu.
* Estagiária sob a supervisão de Adriano Araujo
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários