Operação Segurança Presente faz cair índice de violência nos bairros

Tijuca, na Zona Norte, se destaca com 91% de redução nos roubos de celulares

Por Bruna Fantti e Waleska Borges

Cartaz em salão na Tijuca avisa: agentes são recebidos com água e café
Cartaz em salão na Tijuca avisa: agentes são recebidos com água e café -

As operações do Segurança Presente reduziram os principais índices de criminalidade, como roubos a pedestres e de celulares, além dos casos no comércio. Levantamento da Secretaria de Estado de Governo indica queda nos números em pelo menos 11 das 19 bases. As análises consideraram os meses de julho a outubro do ano passado, comparados ao mesmo período de 2018.

Um dos melhores resultados, baseado em dados do Instituto de Segurança Pública (ISP), está na Tijuca, que recebeu o programa em janeiro do ano passado. Houve 91% de redução a roubos de celulares: 23 em 2018, contra dois em 2019. Ainda houve redução de 83% a roubos de lojas. Nessa modalidade foram registrados seis casos em 2018 contra somente um em 2019. Os roubos a pedestres caíram 48%, passando de 21 para 11 registros.

"Melhorou muito, principalmente os furtos que são praticados a pé, de bicicleta, moto ou em bando", disse o porteiro Nilton José.

O jornalista Otávio Freitas reforça os elogios. "Melhorou consideravelmente a segurança, espero que o projeto continue".

Em Laranjeiras, que conta com o programa desde setembro passado, a operação também apresentou bons resultados. A queda dos registros chegou a 73% no roubo a transeuntes, sendo 11 em 2018 e três casos em 2019. Também houve queda de 60% no roubo de celular: foram cinco em 2018 e dois no ano passado.

SEGURANCA - ARTE O DIA

Outras nove bases apresentaram bons índices

Os assaltos de rua também registraram quedas nas bases de Ipanema, Nova Iguaçu, Bangu, Botafogo, Niterói, Centro, Aterro, Leblon e Méier. "Os excelentes resultados são a prova de que o policiamento constante nas ruas inibe a ação dos bandidos. O Segurança Presente devolveu aos moradores o direito de ir e vir", avaliou o secretário de Governo, Cleiton Rodrigues.

Entre janeiro de 2019 e o mesmo mês deste ano, foram feitas 3.607 prisões em flagrante, 1.607 capturas de foragidos e 41.073 atendimentos sociais. Os agentes patrulham as áreas de 8h às 20h, em trios a pé, de moto e de bicicleta.

O camelô Edvaldo da Costa Leite, morador de Laranjeiras, diz que a operação foi bem-sucedida. "Melhorou muito! Antigamente, aqui era cheio de pivetes. Quem comete crimes agora são só os 'desavisados', que acabam presos".

Jessica Cristina, 28 anos, promotora de merchandising, trabalha há 4 anos na região, e comenta: "Ter a operação já faz com que eu me sinta mais segura, apesar de nunca ter sido assaltada".

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Galeria de Fotos

Cartaz em salão na Tijuca avisa: agentes são recebidos com água e café Cléber Mendes
Solange Campos aprova a operação Segurança Presente na Tijuca Cléber Mendes
Jessica Cristina trabalha há quatro anos em Laranjeiras e diz que a ronda dos agentes a deixa mais segura Fotos de Cléber Mendes
SEGURANCA ARTE O DIA

Comentários