Jovem é incendiado pela ex e tem 55% do corpo queimado

Daniel Jean Rocha Claudino teve queimaduras de segundo e terceiro grau após a mulher jogar gasolina em cima dele e atear fogo

Por RAI AQUINO

Daniel Jean teve 60% do corpo queimado
Daniel Jean teve 60% do corpo queimado -
Rio - Familiares do motoboy Daniel Jean Rocha Claudino, de 20 anos, denunciam que a ex-namorada do jovem o incendiou, causando queimados de segundo e terceiro grau em 55% do corpo dele. O ataque aconteceu na manhã da última quarta-feira em frente à casa do rapaz, no Cachambi, na Zona Norte do Rio.
De acordo com parentes, a mulher não aceitava o fim do relacionamento, de cerca de três anos. No dia do crime, Daniel estava consertando sua moto, quando ela se aproximou, jogou gasolina em cima dele e ateou fogo. 
"Ele começou a pegar fogo na rua, estava só de bermuda e o short ficou na rua. Pegaram um lençol para abafar o fogo e o socorreram", conta a tia de Daniel, a artesã Andrea dos Santos Rocha, 49.
Inicialmente, o jovem foi levado ao Hospital Salgado Filho, no Méier, onde deu entrada em estado grave. Ele passou por uma cirurgia, ficando lá até o domingo, quando a família conseguiu através da Justiça a transferência dele para o Hospital Souza Aguiar, no Centro.
De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, o motoboy está com o quadro de saúde estável.

Galeria de Fotos

Daniel Jean Rocha Claudino Arquivo Pessoal
Daniel Jean Rocha Claudino Arquivo Pessoal
Daniel Jean Rocha Claudino Arquivo Pessoal
Daniel Jean Rocha Claudino Arquivo Pessoal
Daniel Jean Rocha Claudino Arquivo Pessoal
Daniel Jean teve 60% do corpo queimado Arquivo Pessoal
NAMORO DE CIÚMES
A tia de Daniel conta que o namoro do sobrinho com a ex foi marcado por muito ciúme. Ela diz que os dois já chegaram a se agredir na rua.
"Ela é uma menina desequilibrada, com uma família desestruturada, e muito ciumenta. As meninas ficam muito em cima dele, fazendo com que o ciúme só aumente", a artesã relata. "Depois que as brigas começaram a gente vivia falando para ela deixar esse namoro de lado porque não estava dando certo, mas ela não aceitava".
O crime contra o motoboy é investigado pela 23ª DP (Méier). A Polícia Civil informou que aguarda a melhora no quadro de saúde do jovem para que ele possa ser ouvido pelos agentes.
"Os policiais realizam diligências, nesta terça-feira, em busca de outras testemunhas que tenham presenciado o fato", a corporação disse, em nota.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários