Cabral e Pezão: fim do casamento

Por

O ex-governador Sérgio Cabral (MDB), preso há mais de três anos, afirmou que o também ex-governador Luiz Fernando Pezão o ajudou a montar todo esquema de propina que funcionou durante seu governo — de 2007 a 2014. Pezão foi vice-governador e secretário de Obras de Cabral e governou o Estado do Rio entre 2014 e 2018.

"Confirmo que o vice-governador e governador Luiz Fernando Pezão participou da estruturação dos benefícios indevidos desde o primeiro instante do nosso governo, desde a campanha eleitoral e durante os oito anos em que fui governador. E, posteriormente, tenho algumas informações a respeito", afirmou Cabral, ontem, na 7ª Vara Federal Criminal do Rio.

O depoimento coincide com o dado pelo colaborador das investigações Sérgio de Castro Oliveira, o Serjão, que disse que Pezão recebia mesada de R$ 150 mil durante o governo Cabral.

Em seguida, no mesmo juízo, em seu primeiro depoimento desde que foi preso, Pezão negou as acusações. Ele criticou a mudança de versões de Cabral em seus interrogatórios, como os valores de propina. "Acho que é uma delação combinada entre os quatro para ganhar benefício, e eu sou o único que restou aqui. Não sei qual é a mágoa, a tristeza, a frustração que eles têm", disse. Entre as acusações estão a suposta mesada de R$ 150 mil e propinas pagas pela Fetranspor.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários