Turista da Lituânia é assassinado e a mulher estuprada em Paraty

Adam Zindul foi encontrado amarrado a uma cadeira, com um pano cobrindo sua cabeça, e tinha sinais de tortura

Por RAI AQUINO

Adam Zindul tinha 37 anos
Adam Zindul tinha 37 anos -
Rio - Um turista da Lituânia foi assassinado a facadas, no início da madrugada desta quinta-feira, na Praia do Sono, em Paraty, na Região da Costa Verde. O corpo de Adam Zindul, de 37 anos, foi encontrado amarrado a uma cadeira, com um pano cobrindo sua cabeça e uma peça de roupa em volta de seu pescoço, e com sinais de tortura. A mulher dele, que é brasileira, teria sido estuprada.
De acordo com testemunhas, o crime aconteceu em uma casa que o casal tinha alugado na região. Além do estupro, a mulher também foi alvo de pauladas, mas sobreviveu. Uma pessoa foi presa por envolvimento no crime.
"Ele deu a facada no cara e deu uma paulada nela e achou que tinha matado-a. Ela acordou e saiu correndo", contou uma locatária de casas e chalés da região, que preferiu não se identificar. Ela disse ainda que o autor do crime é de Paraty e faz bicos na enseada.
A Polícia Militar afirmou que o homem foi levado à 167ª DP (Paraty) por PMs do 33º BPM (Angra dos Reis). Já a mulher foi socorrida no Hospital Municipal Hugo Miranda, que fica no Centro Histórico. Ainda não há informações sobre o estado de saúde dela.

Galeria de Fotos

Adam Zindul tinha 37 anos Arquivo Pessoal
Adam Zindul tinha 37 anos Arquivo Pessoal
Adam Zindul tinha 37 anos Arquivo Pessoal
ÁREA DE PRESERVAÇÃO
A Praia do Sono fica em uma área preservação ambiental, há cerca de 25 km do Centro de Paraty. Além do turismo, os moradores da região, que em sua grande maioria é caiçara, vivem da pescaria. O acesso ao local é feito apenas por barcos ou por trilhas.
"O Sono é tranquilo. Todo mundo é família, se conhece. Lá são só nativos que moram. Difícil você ter alguém que não se conhece. Infelizmente a gente não manda nas pessoas, a comunidade inteira está triste, de luto, porque isso é horrível pra gente", a locatária lamentou.
A polícia investiga as motivações do crime.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários