Polícia identifica grupo que oferece serviços de transporte no Galeão com preços abusivos

Os 13 investigados cobravam preços abusivos e até passavam valores diferentes do acordado nos cartões. A abordagem muitas vezes é feita de forma ostensiva e abusiva, aponta a polícia

Por O Dia

Investigação da DAIRJ identificou grupo que cobrava preços abusivos de passageiros de táxi e de serviços de aplicativos
Investigação da DAIRJ identificou grupo que cobrava preços abusivos de passageiros de táxi e de serviços de aplicativos -
Rio - A Delegacia do Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro (DAIRJ) realizou, na noite desta quinta-feira, a operação Night Rider para deter integrantes de um grupo que aborda passageiros no Aeroporto Internacional Tom Jobim para oferecer corridas em carros de aplicativos e táxis de forma irregular. Apesar da "assistência", os 13 investigados cobravam preços abusivos e até passavam valores diferentes do acordado nos cartões. A abordagem muitas vezes é feita de forma ostensiva e abusiva, aponta a polícia. 
Dos 13 investigados, 10 foram encontrados no Galeão e conduzidos para a DAIRJ, onde prestaram depoimento e foram liberados. Com um deles foi apreendida uma máquina de cartão de crédito, que será periciada. A investigação continua na especializada. 
Segundo a delegada Tatiana Queiroz, os integrantes, que atuam de forma irregular, abordam as vítimas no saguão do aeroporto para oferecer a corrida com preços abusivos, fora do valor tabelado. Eles também passariam um valor diferente do combinado nas máquinas de cartões, com o passageiro percebendo somente após o pagamento.
Vários dos identificados já eram investigados por outros delitos e possuem antecedentes criminais. Os 10 detidos foram levados para a DAIRJ e ouvidos, sendo liberados em seguida.
Eles podem responder por crimes contra as relações de consumo, por se fazerem de taxistas cooperativados ou por cooperativas autorizadas, induzem o passageiro a erro quanto a natureza e qualidade do serviço; estelionato, por digitarem na máquina de pagamento valor diverso do acordado ou tabelado; e por crimes contra a economia popular, quando cobram a corrida no "tiro", fora do valor das tabelas oficiais do serviço.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários