Autoridades alertam para não comprar álcool gel de ambulantes

Conselho Regional de Química afirma que produtos podem ser de procedência duvidosa

Por Anderson Justino

Rio,18/03/2020-CASCADURA, Ambulantes vendendo de alcool gel .Foto: Cleber Mendes/Agência O Dia
Rio,18/03/2020-CASCADURA, Ambulantes vendendo de alcool gel .Foto: Cleber Mendes/Agência O Dia -

A alta procura por álcool gel no combate à contaminação pelo coronavírus fez com que o produto sumisse do mercado. Mas no comércio informal, começou a pipocar, no estado do Rio, ofertas de álcool gel sem procedência. Por conta disso, o Conselho Regional Química da Terceira Região (CRQ3) lançou um alerta: 'Não comprem produto de procedência duvidosa. Valorize sua vida'.

Para o presidente do CRQ3, Rafael Almada, o uso do produto não regulamentado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) pode acarretar problemas sérios de saúde. "Um produto de procedência duvidosa pode facilitar ainda mais a contaminação da covid-19 e outras doenças. A questão é que não se pode confiar em produtos químicos que não sejam regulamentados. É importante saber quais laboratórios produzem, se estão cumprindo as normas exigidas e se existe a assinatura de um químico responsável", explica.

Desde o início da semana, agentes de segurança realizam ações para identificar pontos de venda e os responsáveis pelo comércio ilegal. Até ontem, mais de mil frasco do produto foram apreendidos na capital, por agentes da Guarda Municipal. A maior parte deles era uma mistura de álcool líquido com gel para cabelo. Além da capital, houve apreensões em cidades da Baixada e das regiões dos Lagos e Serrana.

Nas ruas do Centro e no subúrbio do Rio, o produto é oferecido por ambulantes a R$ 5. Apesar do preço abaixo do mercado, "é preciso ter muito cuidado para não comprar gato por lebre, como se diz", previne Almada.

Na região da Central do Brasil, um ambulante vende álcool gel 80% para acender carvão de churrasco. "A irresponsabilidade é um perigo para quem adquire o produto", reitera o químico. "Eles conseguem rótulos de pequenas empresas e dizem que são autorizados. Álcool gel, só o 70% de uso hidratante".

ALERTAS

Em nota, a Anvisa alerta que o álcool gel para higienizar mãos precisa de sua autorização para que as indústrias possam produzi-lo. É preciso também conferir se no rótulo há o registro da Anvisa. Já a Subsecretaria de Vigilância Sanitária e Controle de Zoonoses orienta que o consumidor só compre esse álcool em estabelecimentos autorizados, como drogarias, farmácias e lojas do comércio varejista.

 

Venda proibida

A Secretaria Municipal de Fazenda (SMF) diz que a venda de álcool gel, assim como outros produtos inflamáveis, corrosivos e explosivos não é permitida pelo comércio ambulante, conforme a Lei 1876/92. A identificação da irregularidade sofre penalidades como a apreensão dos materiais e a prisão dos responsáveis. Em caso da venda do produto falsificado é atribuído o crime de falsificação. 

Já a Subsecretaria de Vigilância Sanitária e Controle de Zoonoses orienta aos consumidores que comprem produtos químicos apenas nos estabelecimentos autorizados para a comercialização, que são drogarias, farmácias e lojas do comércio varejista. “Na hora da compra, o consumidor precisa conferir no rótulo se o produto tem registro da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e qual a finalidade, que deve ser gel antisséptico para as mãos. É preciso estar atento para a data de fabricação e validade do produto”.


Anvisa libera venda em farmácia de manipulação

Em meio a pandemia da Covid-19, uma boa notícia. Anteontem a Anvisa autorizou as farmácias de manipulação a prepararem e venderem álcool gel de forma direta para o público. Com essa medida, a agência pretende ampliar o acesso da população a esses produtos, considerando o alto número de farmácias de manipulação em todo o Brasil.

Essa autorização é temporária e faz parte das ações de proteção para o enfrentamento da emergência de saúde de importância internacional em decorrência do novo coronavírus. A Resolução da Diretoria Colegiada 347/2020, que regulamenta o tema, foi publicada ontem no Diário Oficial da União.

Abrangência

As farmácias de manipulação já têm expertise para a manipulação de medicamentos e outros produtos. Com a decisão, as farmácias magistrais, como também são conhecidas, poderão preparar álcool etílico 70% (p/p), álcool etílico glicerinado 80%, álcool gel, álcool isopropílico glicerinado 75%, água oxigenada 10 volumes e digliconato de clorexidina 0,5%.

Todas essas fórmulas são preparações antissépticas ou sanitizantes que podem ser utilizadas no combate ao coronavírus. Até então, somente indústrias de cosméticos podiam fabricar esses produtos, com necessidade de autorização da Anvisa.

Galeria de Fotos

Rio,18/03/2020-CASCADURA, Ambulantes vendendo de alcool gel .Foto: Cleber Mendes/Agência O Dia Cléber Mendes
Rio,18/03/2020-CASCADURA, Ambulantes vendendo de alcool gel .Foto: Cleber Mendes/Agência O Dia Cléber Mendes
Em Cascadura, camelôs disputam clientes oferecendo produto falsificado: gel de cabelo com álcool Cléber Mendes
Ambulante vende álcool em gel a R$ 5 em Cascadura: procedência duvidosa ClÉBLer Mendes
Rio de Janeiro - RJ - 16/03/2020 - Coronavirus na cidade do Rio - na foto, vendedor de alcool gel, Jorge Aprigio Junior Foto Reginaldo Pimenta / Agencia O Dia Reginaldo Pimenta / Agencia O Dia
Rio de Janeiro - RJ - 16/03/2020 - Coronavirus na cidade do Rio - na foto, vendedor de alcool gel, Jorge Aprigio Junior Foto Reginaldo Pimenta / Agencia O Dia Reginaldo Pimenta / Agencia O Dia
Rio, 16/03/2020 - Camelo Fernando, vendendo alcool gel, Centro do Rio. Foto: Ricardo Cassiano/Agencia O Dia Ricardo Cassiano/Agencia O Dia
Rio, 16/03/2020 - Camelo Fernando, vendendo alcool gel, Centro do Rio. Foto: Ricardo Cassiano/Agencia O Dia Ricardo Cassiano/Agencia O Dia

Comentários