Pesquisa estuda subnotificação do novo coronavírus no Brasil

Instituições de ensino do Rio alertam que número real de casos pode ser 16 vezes maior que o notificado

Por Julia Noia*

Com capacidade dobrada de testagem no Estado do Rio, números de casos e mortes têm batido recorde nos últimos dias
Com capacidade dobrada de testagem no Estado do Rio, números de casos e mortes têm batido recorde nos últimos dias -

Uma pesquisa coordenada pela Comissão RJ Ciência no Combate à Covid-19, para dimensionar a subnotificação da doença no Brasil, aponta que o número de casos reais do novo coronavírus pode ser até 16 vezes maior que o notificado, com cerca de 4,3 milhões de infectados.

A taxa de subnotificação no Estado do Rio ainda está sendo analisada, mas, pelo fluxo de respostas, a subsecretária de Ensino Superior, Pesquisa e Inovação, Maria Isabel de Castro Souza, alerta que esse número também deverá ser significativo.

O mapeamento será essencial para a realização de políticas públicas, principalmente em áreas como comunidades e região interiorana.

"Nas comunidades, podemos fazer desde parcerias entre universidades e agentes da comunidade a parcerias com laboratórios para aumentar a testagem. No interior, a atuação direta com as prefeituras vai permitir entender por que há falta de informação", afirma Castro Souza. 

A pesquisa reúne especialistas da Uerj, UFRJ, Fiocruz e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio de Janeiro. Os dados começaram a ser coletados em 8 de maio, a partir de um formulário digital.

* Estagiária sob supervisão de Waleska Borges

Comentários