Novo secretário estadual de Saúde quer antecipar internações

Fernando Ferry explicou que pretende adotar protocolo que prevê hospitalização logo no início do contágio de pacientes

Por André Arraes

Rio de Janeiro - RJ  - 19/05/2020 - COVID 19 - Coronavirus no Rio - coletiva do governador Wilson Witzel apresentando o novo secretario de saude Fernando Ferry - Foto Gilvan de Souza / Agencia O Dia
Rio de Janeiro - RJ - 19/05/2020 - COVID 19 - Coronavirus no Rio - coletiva do governador Wilson Witzel apresentando o novo secretario de saude Fernando Ferry - Foto Gilvan de Souza / Agencia O Dia -

O novo secretário estadual de Saúde do Rio, Fernando Ferry, participou, ontem, de uma coletiva, ao lado do governador Wilson Witzel, para comentar os novos rumos de sua gestão no combate à covid-19. Ferry propôs uma mudança no protocolo de internação, defendendo que os pacientes sejam internados mais cedo, antes de um comprometimento maior dos pulmões.

De acordo com Ferry, o protocolo atual é "tome dipirona, vá para casa, espere e, se sentir falta de ar, volte": "Assim os pacientes já chegam debilitados ao hospital, com 50% ou mais do pulmão afetado", argumentou. Ele defendeu a internação mais cedo, quando já houver 25% de comprometimento.

Na ocasião, o governador aproveitou para afirmar que o lockdown no Rio de Janeiro está acontecendo desde o dia 13 de março.

Segundo Witzel, "o isolamento social pode ser maior ou menor, dependendo da necessidade de atender as vítimas da doença. No Rio, nós fizemos um lockdown no dia 13 de março, quando eu reduzi a 30% a mobilização de transportes públicos estaduais e pedi às prefeituras que assim o fizessem".

Ontem, deputados derrubaram na Alerj o projeto de lei que autorizava o estado a decretar o isolamento total. Com 55 votos contrários, 13 abstenções e apenas 1 voto favorável, o PL foi considerado inconstitucional e arquivado. "Essa votação não tem relevância. Municípios já estão implementando esse tipo de medida", disse Bruno Dauaire (PSC), líder do partido de Witzel e que tambem votou contra.

 

Comentários