PM do batalhão de Caxias é alvo de operação contra a milícia na Baixada

Ação da DHBF pretende cumprir 15 mandados de prisão e 50 de busca e apreensão no bairro Cerâmica, em Nova Iguaçu

Por RAI AQUINO

Operação acontece em Nova Iguaçu
Operação acontece em Nova Iguaçu -
Rio - Policiais da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) fazem, desde as primeiras horas da manhã desta quarta-feira, uma operação contra a milícia que age no bairro Cerâmica, em Nova Iguaçu. São 15 mandados de prisão e 50 de busca e apreensão. Até o momento, nove pessoas já foram presas, dentre elas o chefe do bando, Igor Pereira Corrêa Souza, conhecido como Igor Russo. Uma arma foi apreendida.
De acordo com o delegado Moyses Santana, titular da DHBF, um dos procurados é o policial militar Carlos Eduardo de Moraes Corrêa, lotado no 15º BPM (Duque de Caxias), que ainda não foi encontrado.
"Essa milícia é responsável por diversos homicídios, roubo de veículos e exploração de segurança particular. Eles agem há muito tempo na região", contou o delegado.
As investigações para a operação começaram há cerca de cinco meses a partir de diversas mortes praticadas pelo grupo paramilitar. 
"Fomos verificando cada uma das mortes e descobrimos, na verdade, que um grande grupo criminoso era o responsável por esses homicídios. Houve um raxa no bando e eles passaram a tentar matar uns aos outros", acrescenta Santana.

Galeria de Fotos

Operação acontece em Nova Iguaçu Reprodução
Operação acontece em Nova Iguaçu Reprodução
Operação acontece em Nova Iguaçu Reprodução
A polícia conseguiu com que diversos milicianos dos dois grupos delatassem uns aos outros.
"Durante a investigação achamos um desmanche usado por eles, com 50 veículos desmontados, apreendemos armas de fogo e encontramos até um cemitério clandestino", destaca.

Comentários