MPRJ realiza operação em Búzios para prender envolvidos em lavagem de dinheiro

Tabelião e advogado enganavam proprietários de imóveis para conseguir partes de terrenos

Por O Dia

Cartório investigado pela Corregedoria e pelo MPRJ
Cartório investigado pela Corregedoria e pelo MPRJ -
Rio - O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), realiza nesta sexta-feira a operação “Registro Paralelo”, para prender o tabelião titular do Ofício Único de Búzios e um advogado. Segundo o órgão, eles são integrantes de um grupo responsável por crimes de concussão e lavagem de dinheiro envolvendo o Ofício Único de Armação dos Búzios.
A investigação teve início a partir de informações encaminhadas pela Corregedoria da Justiça com diversas irregularidades cometidas pelo tabelião Albert Danan, titular do Ofício Único de Búzios que contaria com a ajuda do advogado Allan Vinicius Almeida Queiroz. Albert Danan não foi localizado e continua foragido.

A ação é realizada através do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO/MPRJ), com o apoio da Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI/MPRJ) e da Corregedoria Geral da Justiça do Estado do Rio.

De acordo com o que foi apurado, ao tentar regularizar seus imóveis em Armação dos Búzios, proprietários se deparavam com inúmeras exigências indevidas formuladas pelo tabelião. A partir daí, o titular do cartório de Búzios exigia a contratação de Allan Vinicius e alegava ser o único capaz de cumprir o que era exigido. Em seguida, o advogado, sob a orientação do tabelião Albert Danan, cobrava dos clientes os valores de honorários, exigindo, em certas ocasiões, parte de terrenos como contraprestação dos serviços prestados.

A ação foi baseada em interceptação telefônica, quebra de sigilo de dados fiscais e busca e apreensão. Durante a investigação ficou comprovado que os valores e bens tinham por destinatários todos os integrantes do esquema, inclusive o próprio tabelião Albert Danan, indiciado como líder.
Além do tabelião e do advogado Allan Vinicius, também foram denunciados a advogada Rita de Cássia Almeida Queiroz (irmã de Allan Vinicius e responsável por lavar dinheiro da organização, colocando parte dos bens obtidos em seu nome) e um despachante.

Os denunciados irão responder, junto à 1ª Vara Criminal de Armação dos Búzios, pelos crimes concussão e lavagem de dinheiro

Comentários