Manifestação de profissionais da saúde na Linha Amarela termina na delegacia

O grupo de dez médicos estendeu uma faixa na Linha Amarela pedindo por melhores condições de trabalho

Por Maria Clara Matturo*

Rio,23/05/2020 -COVID-19 -CORONAVIRUS , MEIER, 26º Delegacia de Policia, movimento Nenhum Servico de Saude a Menos realizou um protesto para denunciar a crise na saude do Rio de Janeiro no enfrentamento a pandemia do coronavirus.Na foto. manifestantes foram conduzidos a 26DP, por obstruir a linha Amarela, Carlos Vanconcelos e Lucia Padua .Foto: Cleber Mendes/Agência O Dia
Rio,23/05/2020 -COVID-19 -CORONAVIRUS , MEIER, 26º Delegacia de Policia, movimento Nenhum Servico de Saude a Menos realizou um protesto para denunciar a crise na saude do Rio de Janeiro no enfrentamento a pandemia do coronavirus.Na foto. manifestantes foram conduzidos a 26DP, por obstruir a linha Amarela, Carlos Vanconcelos e Lucia Padua .Foto: Cleber Mendes/Agência O Dia -
Rio - Uma manifestação pacífica de profissionais da saúde acabou na delegacia, na manhã de hoje. Os dez trabalhadores reunidos carregavam faixas, na praça de pedágio da Linha Amarela, reivindicando melhores condições de trabalho, o fim das operações nas comunidades e testagem priorizando a classe, quando foram abordados por oficiais da Polícia Militar e encaminhados à 26ª DP (Todos os Santos). 

O ato começou por volta das 10h20 da manhã e durou cerca de vinte minutos. Segundo o membro do Sindicato dos Médicos Carlos Vasconcellos, o grupo seguiu as orientações da Lamsa, que é administradora da via, e da própria Polícia Militar: "permanecemos no acostamento, como nos foi recomendado. Quando já estávamos nos retirando, recebemos uma determinação de um policial do Batalhão de Choque para nos conduzir até a delegacia".

De acordo com o advogado criminalista Júlio Leitão, a ação da polícia foi "uma decisão política e arbitrária", e reforçou: "Uma manifestação de dez profissionais, seguindo todas as recomendações de proteção da prefeitura e do governo estadual, não pode ser considerada crime. É uma ação absolutamente ilegal, isto não está previsto em nenhuma lei".
Em nota, a Polícia Civil afirmou que duas pessoas do grupo foram "ouvidas e autuadas no artigo 268 do CP (Infringir determinação do poder público, destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa) e, em seguida, liberadas". O caso foi encaminhado ao Juizado Especial Criminal (Jecrim)

Em união com o movimento "Nenhum Serviço de Saúde a Menos", os trabalhadores estão participando de uma série de protestos para denunciar as más condições de trabalho, falta de equipamentos de proteção adequados, dificuldade de testagem e constante atrasos salariais. “Não é algo pontual, manifestações estão acontecendo em vários estados, os profissionais da saúde estão unidos para garantir as nossas vidas e da população também”, afirmou a servidora Lúcia Pádua.

Galeria de Fotos

Profissionais da saúde abriram cartazes com 'fora Bolsonaro' Cléber Mendes / Agência O Dia
Grupo denunciou crise na saúde do Rio Cléber Mendes / Agência O Dia
Manifestação na Linha Amarela Cléber Mendes / Agência O Dia
Manifestação foi parar em delegacia Cléber Mendes / Agência O Dia
Profissionais que participavam de manifestação foram conduzidos a 26ª DP (Todos os Santos) Cléber Mendes / Agência O Dia
*Estagiária sob supervisão de Waleska Borges

Comentários