Hospitais ainda sem data para inaugurar

Unidade de Duque de Caxias, que estava para ser entregue ontem, ainda segue em obras

Por Anderson Justino

Hospital de Campanha de Duque de Caxias mais parece um canteiro de obras. OS Iabas ainda não tem previsão para inaugurar espaço
Hospital de Campanha de Duque de Caxias mais parece um canteiro de obras. OS Iabas ainda não tem previsão para inaugurar espaço -

O drama entre o governo estadual e a Organização Social (OS) Iabas, empresa responsável pelos hospitais de campanha, segue longe de um final feliz. A OS mais uma vez descumpriu o prazo de conclusão das obras da unidade de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O espaço, que deveria ter sido inaugurado ontem, não tem leitos devidamente montados e há até goteiras. 

No início da pandemia, o governador prometeu entregar nove hospitais de campanha à população do Rio até o dia 30 de abril. Até o momento, contudo, apenas três unidades foram inauguradas, duas delas com recursos da iniciativa privada. O único hospital com recurso estadual, o do Maracanã, ainda não está com todos os leitos em funcionamento.

Na semana passada, os hospitais de campanha de São Gonçalo e Nova Iguaçu, que já estão com quase 100% das obras concluídas, tiveram suas inaugurações adiadas. A OS alegou uma série de problemas para justificar os atrasos. 

A Iabas é investigada pelo Ministério Público Federal (MPF) por fraudes no dinheiro da Saúde durante a pandemia do novo coronavírus. Na semana passada, o governo estadual determinou que a OS administre apenas o Hospital de Campanha do Maracanã, na Zona Norte.

Segundo o governo estadual, "a condução das obras dos seis hospitais de campanha do estado, dedicados ao tratamento de pacientes da covid-19, que ainda não foram inaugurados, ficará a cargo de um consórcio de empresários indicados pelo vice-presidente da Federação Brasileira dos Hospitais e da Associação dos Hospitais do Estado do Rio de Janeiro".

Deputado encontra goteiras no hospital

O estado tem 53.388 casos da Covid-19. Segundo a Secretaria de Estado de Saúde (SES), a taxa de ocupação de toda a rede estadual é de 79% para leitos de enfermaria e 86% em leitos de UTI. Atualmente, 102 pacientes com coronavírus aguardam transferência para UTIs, e 60 para enfermaria. A entrega dos hospitais de campanha é importante para que o Rio não corra o risco de sofrer um colapso na saúde. 
Duque de Caxias é hoje a quinta cidade do estado em número de casos do novo coronavírus.
Em visita ao hospital de companha do município, o deputado estadual Renan Ferreirinha (PSB) fez duras criticas à Iabas e ao executivo do estado. 
"É uma vergonha essa falta de compromisso do governo do estado e da Iabas com a papulação. Depois de sugestivas datas, não conseguem entregar mais uma unidade. Diferente dos hospitais de São Gonçalo e Nova Iguaçu, marcados para inaugurar na semana passada, aqui não tem nada. É um enorme canteiro de obras. Não tem salas com leitos montados, equipamentos, piso adequado e, em vários trechos, há goteiras, inclusive em cima de sala de leitos, além de armários amontoados", destacou o deputado.  
Um operário ouvido pela equipe de reportagem de O DIA revelou que a entrega das obras não acontece em menos de 15 dias.




Comentários