Onde está a frota total de BRT?

.

Por André Arraes

Ônibus lotados e com passageiros em pé: irregularidades sem fim
Ônibus lotados e com passageiros em pé: irregularidades sem fim -

O número de passageiros no transporte público vem aumentando devido à abertura gradual dos serviços na cidade, seguindo o Plano de Retomada do Rio. A prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Transportes (SMTR), determinou que as linhas de ônibus regulares e o BRT operem com 100% de sua frota para atender a população, que está retornando aos poucos às atividades.

No entanto, principalmente no BRT o que se verificou, ontem, é que a superlotação constante desrespeita os cidadãos e também a regra de os coletivos saírem apenas com as pessoas sentadas, como medida de segurança contra a covid-19. A estação de Santa Cruz e do Mato Alto, além dos terminais Alvorada, Paulo da Portela e Jardim Oceânico, são os locais de maior movimento.

Segundo a SMTR, durante a fiscalização na manhã de ontem, em estações do BRT, as equipes registraram 54 infrações na prestação dos serviços, principalmente pela superlotação dos ônibus articulados. A multa para esse descumprimento é de R$ 924,38. Em três dias, de segunda-feira até ontem, 338 multas foram aplicadas ao consórcio por irregularidades no transporte. Desde o início das ações de contenção à covid-19 foram ao todo 1.373 autuações à empresa.

Segundo o BRT, 100% de sua frota está nas ruas e há reforço de ônibus nos horários de pico, de forma a atender a demanda de passageiros durante a pandemia. Os articulados têm capacidade para transportar 60 pessoas sentadas, mas na prática o que acontece são os passageiros aglomerados e chegando na lotação máxima de 180 pessoas. O BRT afirma que "com a flexibilização das medidas restritivas e o aumento do número de passageiros tornará cada vez mais difícil a fiscalização por parte da prefeitura".

Comentários