Mulher de Queiroz já é considerada foragida

Márcia Oliveira de Aguiar frequentou por 10 anos o gabinete de Flávio Bolsonaro na Alerj

Por IG - Último Segundo

Márcia Oliveira de Aguiar está sendo investigada junto com o marido Fábricio Queiroz
Márcia Oliveira de Aguiar está sendo investigada junto com o marido Fábricio Queiroz -
A mulher de Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), é considerada como foragida pela polícia na investigação que apura um esquema de "rachadinha" na Alerj. O mandado de prisão foi emitido pela Justiça do Rio de Janeiro nesta quinta-feira (18). Márcia Oliveira de Aguiar disse em mensagens que Queiroz continuava dando ordens mesmo escondido. A intenção, segundo ela, seria constranger testemunhas.
Márcia chegou a comparar o marido com um bandido "que tá preso dando ordens aqui fora, resolvendo tudo". O juiz Flávio Itabaiana Nicolau, da 27ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro usou as informações como justificativa para prender de maneira preventiva Fabrício de Queiroz.
A mulher de Fabrício Queiroz frequentou por 10 anos o gabinete de Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) entre 2007 e 2017. No entanto, Márcia nunca teve crachá na Alerj porque se declarava como "cabeleireira”.
Queiroz foi preso na manhã desta quinta-feira (18) dentro da casa de propriedade do advogado de Flávio Bolsonaro, Frederick Wassef. O imóvel era monitorado há cerca de 10 dias. O homem não resistiu à prisão.

Comentários