MP apura irregularidades no Hospital de Campanha do Riocentro e no Hospital Ronaldo Gazolla

Há relatos sobre inadequação e insuficiência de equipamentos de proteção individual, carência de recursos humanos, desabastecimento de materiais e medicamentos

Por O Dia

Hospital de campanha no Riocentro, Zona Oeste da cidade
Hospital de campanha no Riocentro, Zona Oeste da cidade -
Rio - O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), instaurou, nesta sexta-feira, um procedimento administrativo para acompanhar as ações adotadas para enfrentamento do novo coronavírus e para solucionar carências detectadas no Hospital Municipal Ronaldo Gazolla e no Hospital de Campanha do Riocentro, referências da rede municipal no tratamento de pacientes com covid-19.
De acordo com o MPRJ, há relatos sobre inadequação e insuficiência de equipamentos de proteção individual, carência de recursos humanos, desabastecimento de materiais e medicamentos nessas unidades.
O Ministério Público oficiou a direção do Hospital de Campanha do Riocentro, a direção do Hospital Municipal Ronaldo Gazolla e a Empresa Pública de Saúde do Rio de Janeiro (RioSaúde) para que se manifestem, em cinco dias, sobre o conteúdo dos relatórios de vistoria que apontam a carência de recursos humanos e materiais.
Além disso, requer, ainda, que informem sobre as medidas adotadas para solucionar o problema.

Comentários