Polícia procura miliciano suspeito de matar gerente de multinacional

A dentista Karina Lepre Franco — presa na quinta-feira, sob a acusação de mandar matar o marido para ficar com os R$ 400 mil do seguro de vida e da indenização, se relacionava com o bandido

Por O Dia

Miliciano é suspeito de matar marido de dentista, com quem tinha um relacionamento
Miliciano é suspeito de matar marido de dentista, com quem tinha um relacionamento -
Rio - O Portal dos Procurados divulgou, neste sábado, cartaz para ajudar a Delegacia de Descoberta de Paradeiros (DDPA) com informações que levem a captura do miliciano Anderson do Nascimento Marinho, o Thor, de 44 anos. Ele é um dos envolvidos na morte do engenheiro Wagner Franco, em fevereiro de 2019. Anderson já é considerado foragido da Justiça.

A dentista Karina Lepre Franco — presa na quinta-feira, sob a acusação de mandar matar o marido para ficar com os R$ 400 mil do seguro de vida e da indenização — rompeu o relacionamento com Thor, seu amante, após o assassinato da vítima.

Ela iniciou um relacionamento com o bandido após ele ir ao consultório da dentista cobrar a taxa de segurança estipulada pela quadrilha. Wagner havia montado um consultório para a mulher dentro do Terreirão. Thor seria o executor do assassinato.

O corpo de Wagner foi encontrado três dias depois de seu desaparecimento, com marcas de tiros e a barriga cortada, numa praia em Rio das Ostras, na Região dos Lagos.

Em decisão da Justiça, após pedido da delegada Ellen Souto, da DDPA, foi expedido mandado de prisão pelo 4ª Vara Criminal da Capital e pedido de prisão temporária para Anderson.

Quem tiver qualquer informação a respeito da localização do miliciano Thor, favor denunciar pelos seguintes canais: WhatsApp Portal dos Procurados (21) 98849-6099; pelo facebook/(inbox), endereço: https://www.facebook.com/procuradosrj/, pelo mesa de atendimento do Disque-Denúncia (21) 2253-1177, ou pelo https://twitter.com/PProcurados, ou pelo Aplicativo para celular – Disque Denúncia – . O Anonimato é garantido.

Todas as informações sigilosas sobre o caso serão encaminhadas para a DDPA.

Comentários