Primeiro mandato coletivo nas eleições do Rio

Modelo adotado em outros estados, como São Paulo e Pernambuco, terá candidato para concorrer cargo de vereador

Por Marina Cardoso

Pela primeira vez no Rio, as eleições municipais contarão com candidatura para mandato coletivo. Nas eleições de 2018, candidaturas nesse modelo ganharam espaço em São Paulo e Pernambuco, mas a primeira experiência foi em 2016, na cidade de Alto Paraíso, em Goiás. Nesse formato, a cadeira parlamentar é assumida por um membro de um coletivo, cujo nome é registrado junto ao Tribunal Superior Eleitoral, já que pela atual legislação somente uma pessoa pode se candidatar a um cargo eletivo. No entanto, esse parlamentar eleito atua em conjunto com o grupo. 

No Rio, o modelo pretende ser seguido por 'A Liga', grupo é formado por cinco ativistas sociais: Pedro Gerolimich, Roberto Anderson, Janaína Bemvindo, Kely Louzada e Mariana Basílio, envolvidos em causas complementares como educação, cultura, urbanismo e sustentabilidade.

Gerolimich é o pré-candidato oficial da Liga e filiado ao PSB. “Além de sermos apaixonados pelo Rio, carregamos o inconformismo de ver os graves problemas da nossa cidade se repetindo sem nada ser feito, é frustrante viver em um local com tanto potencial desperdiçado. Toda essa nossa insatisfação precisava virar algo mais real e produtivo, assim nasceu A Liga”, afirma ele.

Ainda segundo ele, o desejo é estimular o processo democrático para a busca de soluções. "Acredito que um grupo que tem ações, vivências e conhecimento em diversas áreas pode contribuir com mais representatividade, colaborando para a transformação efetiva da nossa cidade”. 

Anderson, outro membro do coletivo, é arquiteto e urbanista e já foi candidato em eleições anteriores. "A sociedade sempre está à frente da legislação. Mesmo que ainda não tenhamos uma lei que acolha esta proposta de mandato coletivo, abraçamos a ideia, acreditando na força que temos quando nos unimos para melhorar nossa cidade”, diz ele.

Já Kely, fundadora da ONG Meninas e Mulheres da Mangueira, comunidade onde vive, explica a escolha do nome: “O que é uma liga? Em sua definição literal significa uma aliança ou união entre pessoas para um bem comum, e é essa a ideia principal. Acreditamos que juntos poderemos fazer muito mais. Uma gestão eficiente e forte só é possível com a colaboração e união de todas as pessoas envolvidas nesse processo", finaliza ela.

Comentários